‘Obrigado’: unidade da língua fica reconhecida na investidura

O emprego da fórmula de agradecimento acendeu o debate nas redes sociais e nos meios de comunicação galegos



pedro sanchez

Recém investido primeiro-ministro espanhol, Pedro Sánchez tomou posse hoje perante Felipe VI e a Constituição. Dias antes, durante o debate de investidura, o ainda aspirante a presidente agradecia o apoio do deputado do BNG, Néstor Rego, dizendo ‘Obrigado‘. Esta fórmula de agradecimento também fora empregada pelo próprio Rego ao despedir a sua comparecência no Congresso dos Deputados.

Esta simples cortesia utilizada a ambas beiras do Minho reconhece a unidade da língua dentro do cenário da política estatal, e despertou também a curiosidade e o debate nas redes sociais. Frente a vozes que criticavam a fórmula como “não galega”, o filólogo galego Iván Méndez explicou no seu perfil de Twitter que era “totalmente gramatical e, por tanto, correto”.

Foram várias as pessoas que contribuíram a confirmar esta tese, somando testemunhas de galegofalantes que empregam tal expressão e remexendo na hemeroteca para mostrar que o próprio ex-presidente Manuel Fraga reconhecia esta convergência. Além de usuários particulares, também as políticas quiseram ter voz na questão.

Olaia Rodil, deputada do BNG no Parlamento galego, aproveitou a ocasião para trazer à tona o documentário da Através Editora sobre o Decreto Filgueira, um filme que explora as teses do reintegracionismo e a sua história na normativização do galego.

A deputada do PSdeG pela Corunha, Pilar Cancela, também respondeu um jornalista na mesma rede social para defender a sua utilização. Além disto, diversos meios recolheram vozes e reações a este momento da política estatal.


PUBLICIDADE