Museu da Língua Portuguesa de Bragança adia obras

O projeto continua sem ser realidade uma década depois de ser anunciado e espera este mês o lançamento do concurso de adjudicação



museu-da-lingua-portuguesa-692x300

Novembro semelha ser o mês em que, finalmente, o município de Bragança lance o concurso de adjudicação da obra do Museu da Língua Portuguesa. A ideia deste espaço –com um gémeo idêntico no Brasil– nasceu no ano 2009 durante os Colóquios da Lusofonia e continua sem ser uma realidade após outro concurso que levou à exclusão de 13 dos 18 concorrentes, há dois anos. O motivo deste descarte teria sido, alegadamente, ter sido violado o dever de anonimato das entidades a concorrerem.

Este novo impasse parece cessar agora, com o mecanismo administrativo de novo a funcionar. Segundo explica o portal do Instituto Internacional da Língua Portuguesa, o novo equipamento ficará nos antigos silos de Bragança, que num início pretendia acolher uma residência de estudantes. As instalações permitiriam recuperar a edificação com um novo corpo acoplado, uma reforma que custaria por volta de nove milhões de euros, com financiamento comunitário para 50% e do Plano Estratégico de Desenvolvimento Urbano (PEDU) de Bragança.

Hernâni Dias, presidente da Câmara de Bragança, é optimista sobre o projeto, já avançado nas questões ligadas com “a parte de conteúdo, identificação de potenciais públicos, definição do processo expositivo e desenho das experiências”. Contudo, Dias não quis avançar prazos para a conclusão dos trabalhos. “O nosso objetivo é que o mais rápido possível possamos colocar a concurso este projeto, que é um projeto grande, extremamente relevante não só para a região, mas também para o país e aquilo em que agora nos focamos verdadeiramente é conseguirmos avançar com o processo”, declarou. 

Longe ainda de começar a reconversão dos antigos silos, a inauguração do Museu da Língua Portuguesa parece estar garantida após o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, assegurara o patrocínio da Presidência ao projeto, numa visita a Bragança, em 2016.


PUBLICIDADE