Eduardo Maragoto volta a presidir a AGAL

Dirige umha equipa de 13 membros cujo primeiro cometido será “aproveitar as oportunidades que abre o reconhecimento a Carvalho Calero polo Dia das Letras do ano 2020”



agal-novologo-definitivo-9

Passados quatro anos desde que em 2015 se pujo à frente da associaçom decana do reintegracionismo, o professor de EOI Eduardo Maragoto foi eleito este sábado novamente presidente da AGAL numha assembleia realizada no sábado de manhã no Museu do Povo Galego de Santiago.

A assembleia abriu com um discurso do candidato em que realizou um balanço da atividade da associaçom nos quatro anos transcorridos desde que começou o anterior mandato em 2015. Neste período fôrom dados “passos importantes à procura de um discurso mais compreensível pola sociedade galega”, afirmou Maragoto, que voltará a presidir o Conselho da Associaçom Galega da Língua (AGAL) com umha equipa muito ampliada, com pessoas com ricas trajetórias no tecido associativo galego e diferentes perfis profissionais:

  • Eliseu Mera (vice-presidente), cantor lírico e professor de Música
  • Marcos Saavedra (secretário), bibliotecário
  • Romám Vilela (tesoureiro), bancário
  • Valentim Fagim (vogal), professor de idiomas e editor
  • Miguel Penas (vogal), técnico de comunicaçom
  • Carme Saborido (vogal), professora de idiomas
  • Jon Amil (vogal), médico
  • Teresa Pilhado (vogal), editora
  • Graciela Lois (vogal), psicóloga
  • Luís Fontenla (vogal), professor de idiomas
  • Matias Rodrigues (vogal), historiador de arte
  • Vítor Garabana (vogal), engenheiro informático

Em relaçom ao programa, consta de três linhas desenvolvidas em mais pontos. As três linhas programátivas:

  1. Fortalecer os consensos, internos e externos, em relaçom à Lusofonia ser o espaço natural da língua de todos e todas as galegas, para além de discrepâncias conjunturais.
  2. Converter o ano de Carvalho Calero num ponto de inflexom para o diálogo aberto sobre o relacionamento entre o galego e a língua portuguesa.
  3. Divulgar a vivência reintegracionista como proveitosa, quer do ponto de vista cultural quer do pessoal:

Para avançar com estas linhas programáticas, a candidatura pretende fomentar a colaboraçom do/com o conjunto da sociedade, tecendo redes que facilitem a penetraçom da ideia de comunidade galego-portuguesa, nomeadamente através da implementaçom de projetos que permitam explorar ao máximo a Lei Paz Andrade, tanto no que di respeito à promoçom do português no ensino como no campo das relações galego-portuguesas no ámbito comunicativo, social e institucional.


PUBLICIDADE

  • Jose Carlos Silva

    Parabéns para toda equipe! Muito trabalho pela frente!!

  • https://pglingua.org/index.php abanhos

    boa equipe…Que o sucesso seja de espanto

  • Ernesto V. Souza

    Magnífico grupo de gente… obrigado, pessoal…