A poeta Judite Fernandes recita em Compostela

A livraria Chan de Pólvora organiza hoje às 20.30 horas a apresentaçom de dois livros da autora da ilha de Madeira



judite canha fernandes chan da polvora

A editora brasileira Urutau apresenta esta quinta-feira às 20.30 horas duas obras da poeta Judite Canha Fernandes (Funchal, Ilha da Madeira). São O mais difícil do capitalismo é encontrar o sítio onde pôr as bombas (2017) e A Fúria da Loiça da China (2018), livros duma poética reivindicativa “contra o Estado de Cousas”, indicam desde a livraria Chan da Pólvora, que acolherá o evento.

Além da própria venda dos exemplares, a autora estará presente para falar da sua obra e recitar fragmentos da mesma. Nada no Funchal (Ilha da Madeira) , Judite Canha Fernandes define-se como “performer, feminista, curinga [teatro [email protected] [email protected]], escritora, bibliotecária, ativista, mãe, investigadora, sem nenhuma ordem em especial”. Além da poesia, Canha tratou também com o género teatral –A minha casa era a sede (2016) e Os melhores infelizes (2017)–, o conto –Curtíssimas (2017) e O complexo das fadas (2008)– ou a banda desenhada –Cal (com Luís Roque, 2003-2006)–. Ganhou vários prémios literários como o Prémio Labjovem, Prémio Nacional Editora Kazuá, Prémio Literário Revelação Agustina Bessa-Luís e foi semi-finalista do Prémio Oceanos. Foi representante da Europa no Comité Internacional da Marcha Mundial das Mulheres entre 2010 e 2016.


PUBLICIDADE