(1.º de Abril) João Simões torna-se sócio da AGAL

Humorista televisivo solicitou a entrada na associaçom



João Simões

João Simões

O humorista televisivo que fai de português “novo rico” em vários programas da televisom galega, nomeadamente Land Rober, solicitou a entrada na AGAL no início do mês de março. Num primeiro momento, após receber informaçom de que poderia tratar-se de umha brincadeira que perseguia a ridicularizaçom pública da AGAL numha gala televisiva agendada para abril, o Conselho da associaçom rejeitou o requerimento. Porém, devido à sua insistência e após um encontro da diretiva com o próprio humorista realizado em meados de março, a AGAL decidiu admitir a nova alta.

Na reuniom, o ator manifestou a sinceridade do seu compromisso reintegracionista e mostrou o guiom inicial do citado programa. Seguiu-se umha dura negociaçom em que a AGAL conseguiu arrancar-lhe a promessa de que na citada gala só se faria referência à sua pertença à associaçom, mas que em nengum caso esta seria ridicularizada como “aspirantes a portugueses fracassados que necessitam da minha liderança”. Para além desta definiçom, outra frase retirada do guiom inicial da gala será “Onde querem chegar estes parolos da AGAL que nem sabem onde fica Fátima nem põem galos de Barcelos nos retrovisores?” No entanto, a AGAL acedeu a que o humorista oferecesse 6000 euros à associaçom, em direto, para que esta comprasse e distribuísse pola Galiza a obra musical de Quim Barreiros, a verdadeira fábrica de reintegracionistas, segundo João Simões.

 O primeiro pedido de alta na associaçom de João Simões produziu-se após umha queixa dirigida pola  Associaçom à realizaçom do programa Land Rober da RTVG queixando-se por João Simões, numha visita televisada ao seu Castelo Branco natal, ter pronunciado o verbo “mirar” em vez de “olhar”. Concretamente, teria dito ao locutor do programa, no minuto 1:14: “Mira o meu amigo”. Para a AGAL, o erro nom era mais do que “um desleixo inadmissível dous anos depois de ter sido aprovada a Lei Paz Andrade”. A direçom do programa admitiu a gravidade do erro e foi o próprio humorista que se pujo em contacto com a AGAL para sublinhar o seu compromisso com a língua, manifestando a sua intençom de formar-se para “falar mais enxebremente” em futuras intervençons. Imediatamente a seguir pediu o ingresso na AGAL, mas a associaçom soubo dali a dias que se tratava de um plano para fazer umha brincadeira na TVG numha gala que iria ser realizada ao longo do mês de abril.

 João Simões é, na realidade,  Xosé Antonio Touriñán, ator que conta com mais informaçom aqui.

NOTA:

Esta notícia nom é verídica; foi o nosso contributo para ediçom 2016 do Dia dos Enganos: «O primeiro de Abril vam os burros onde nom têm que ir».

Colocamos a seguir as notícias publicadas nas edições anteriores:


PUBLICIDADE

  • Heitor Rodal

    Ótimo! :))

    Porém, exijo uma retificação e que dentro do acordo assinado o ator galeguize logo o seu nome e apelidos: José António Tourinhã/ám !

    “Ni un paso atrás!”

    • potanonimomain

      Polo intre, que mantenha o Xosé; senom os castelamfalantes vam ler José co som iota.

      • Heitor Rodal

        Por essa regra de três também haviam dizer “Khenifer López”, ou? 😉

        Pois como dizia o ex-presidente do F.C. Barcelona, Joan Laporta: “que n’aprenguin!” [que aprendam].

        • potanonimomain

          É certo podem aprender, mais aínda así hai moitas perssoas que fixeron moito polo galego ou polo galego-português e que tenhem nomes coa grafia e pronuncia do galego normativo, do castelám ou doutras línguas. Incluso hai socios da AGAL, coma Xico Bugueiro. Entom, segundo ti, teria que mudar o seu nome por Jico?

          • https://pgl.gal Valentim R. Fagim

            Caro, Xico é Xico, é um apocorístico, como Zé, Guida ou Gui. Não existe Jico nem nada do género.

            De resto, se revisares a história do galeguismo e dos debates ortográficos, verás que o argumento central do X estava impregnado de derrota: vão ler à castelhana.

          • potanonimomain

            En que páxinas podo ler a história do galeguismo e dos debates normativos e que o expliquem bem? Cales me recomendas?

          • https://pgl.gal Valentim R. Fagim

            Uma hipótese pode ser esta:

            http://agal-gz.org/faq/doku.php?id=inicio

          • Heitor Rodal

            Pois é: os “Anxos” já passaram para “anchos” e o Ignacio Fernández Toxo para “tocho”..

    • potanonimomain

      Xa postos, tamém poderia ser Tourinhão.

      • Heitor Rodal

        Também.

        Veja lá, acontece aqui como com o nome do atual presidente catalão, que ninguém sabe bem como é que deva ser pronunciado, nem sequer na própria Catalunha: “Putschdemong”? “Putschdemun”?

  • ranhadoiro

    Meu deus, a agal no Land rover. A AGAL protagonista do Luar, já só falta incorporarmos ao Galhoso à associaçom, e o Eduardo Maragoto de co-diretor animador do programa Luar…ele é fantástico e muito empático para o público, assim que teria que fazê-lo muito bem com sucesso garantido

  • potanonimomain

    Um gran paso para AGAL. De seguirdes así, quizais a RAG vos faga máis caso; xa que lembremos que a Galega é um dos poucos e o máis importante medio galego que existe. Penso que hai moita xente que nom sabe o que é a AGAL nim o reintegracionismo e, polo tanto, difundir e falar verbo disto num programa com máis de 100000 espectadores; seria bo para obxectivo do reintegracionismo. A ver se falam disto…
    E em que programa foi no que João Simões dixo “mirar” no canto de “olhar”?
    E está bo que se difunda o obra do Quim Barreiros mais, em teoria, xa a deberiamos de poder ter. E nom só do Quim Barreiros, senom dos máis importantes cantantes lusistas, os máis importantes libros lusistas e que se venda uma versiom lusista de tódolos libros que hai nas librarias/bibliotecas; sempre que a haxa. A situaciom é uma vergonha. É uma sorte que xente coma João Simões faga algo por mudar esta situaciom e sobre todo tendo em conta que cartos nom lhe faltam.

  • potanonimomain

    Isto nom som os Estados Unidos, senom a Galiza e o dia dos inocentes é o 28 de dezembro. Por certo, em Portugal e no Brasil que dia é?

    • Martín Mendes Passarim

      O “Dia dos Inocentes” é umha tradiçom espanhola também celebrada em Hispanoamérica.

      Pola contra, o “Dia dos Enganos” (1º de Abril) é próprio da Galiza e os países lusófonos (chamado “Dia da Mentira”), a Inglaterra e os países anglo-saxões; além doutros como a Polónia, a Roménia, etc.

      A propósito, deixo-che um interessante artigo sobre a expressom “por certo”:

      http://www.diarioliberdade.org/index.php?option=com_content&view=article&id=2570:por-falar-nisso-gostava-de-fazer-umha-correccom-lingueistica&catid=100:outras-vozes&Itemid=21

      • potanonimomain

        Em calquera caso, saberemos a veracidade desta nova no vindeiro programa do Land Rober. Ainda así, os medios de comunicaciom fam moitos “enganos” e dim “mentiras” calquera dia do ano, polo tanto, nom seria nada novo.
        Por falar nisso, intentarei usar a expresiom “por certo” corretamente.

  • potanonimomain

    Como podedes pór em temas Xosé António Touriñán, cando ese Antonio puxéronlho sem acento. Os nomes nom se traducem, sexam galego normativos, espanhois, ingleses ou rusos.

    • Ernesto V. Souza

      Se não gostas bota-lhe sucre. XD XD XD

      • potanonimomain

        A quem se lhe ocorre modificar um comentário para pôr 3 XD? Nim que isto fora Pokémon.

        • Ernesto V. Souza

          Home…era para que não achasses que era despectivo.

    • Heitor Rodal

      Eu não vejo aí tradução nenhuma, mas simples adaptação gráfica, provavelmente involuntária. Traduzir um nome é isto:

      https://www.youtube.com/watch?v=y-0tW_lwans

      Vai lá saber. Se calhar Josep Lluís Carod Rovira devia ter grafado “Yusep Yuís” para os castelhanofalantes, como os gayegos…

      • potanonimomain

        Pois tem Josep Lluís. Nom me extranha que os cataláms se queiram separar, tendo en conta que os espanhois nom sabem pronunciar Josep Lluís, e em troques si sabem pronunciar Sneijder ou Jenson Button. Ainda así, nom entendo porque Catalunya se quere separar el só e nom se leva a toda a antiga Coroa de Aragón ou, polo menos, ás comunidades que falam catalám (Illes Balears e Comunitat Valenciana). En todo caso, se se indepedizaram os lugares que falam catalám tamém teriam que ir a franxa oriental de Aragón, el Carxe e a parte norte de Aragón (xa que falam o aragonés, que é bastante semelhante ao catalám). E teria que negociar coa Francia para que lhe devolvam o Rosselló (territorio perdido pola Espanha hai ums 350 anos).

  • potanonimomain

    Esta debe ser uma das novas máis comentadas da história desta páxina.

  • potanonimomain

    Que mágoa!

  • potanonimomain

    Vaites, era certo. Mais entom vano dar no Land Rober ou nom? Ainda nom me aclarei nisso.

  • potanonimomain

    Ediçom 2016… Será ediçom do ano 2016, nom é que o Día dos Enganos tenha 2016 anos.