‘Galiza, um povo sentimental?’ de Helena Miguélez, finalista no Premio Mondoñedo de Ensaio

A obra, editada por Através Editora, compete pelo galardão concedido pelo Concelho mindoniense e a associação As San Lucas



destaque Galiza, um Povo Sentimental - 2a edição

Já ganhadora do Prémio AELG 2015, a obra Galiza, um povo sentimental? Género, política e cultura no imaginário nacional galego está agora entre as treze finalistas para o Premio Mondoñedo 2019 na modalidade Ensaio. O livro de Helena Miguélez-Carballeira explora o mito da Galiza como um país sentimental e “feminino”  e o tropo colonial que organiza o discurso cultural e político da nossa história e cultura. Com a sua obra figuram também outros ensaios como Herdeiros pola forza. Patrimonio cultural, poder e sociedade na Galicia do século XXI, de Xurxo Ayán e Manuel Gago, As orixes da fotografía en Galicia. Estudios composteláns do S. XIX de Carlos Iglesias Castelao ou Para que nos serve Galiza? de Xaime Subiela.

Miguélez-Carballeira, uma das poucas mulheres entre as autoras finalistas, é atualmente professora titular de Estudos Hispânicos na Universidade de Bangor (Gales) e foca o campo das suas pesquisas na história cultural galega e espanhola desde uma perspetiva pós-colonial e feminista.

O falho do júri será conhecido esta semana, o domingo 13 de Outubro. Após a resolução, a pessoa autora da obra ganhadora receberá o prémio no auditório Pascual Veiga de Mondonhedo num ato público que será celebrado no domingo 20 de Outubro. O galardão consiste num diploma acreditador e uma obra artística original do artista José Pedro Gómez. O objetivo do prémio, que já chega à sua quarta edição, pretende estabelecer vínculos permanentes entre o concelho e as melhores obras de criação cultural produzidas na Galiza e em galego nos últimos dez anos.


PUBLICIDADE