Festival de Literatura Mundo do Sal em Cabo Verde

O evento acolhe especialistas de toda a Lusofonia. Desde a Galiza, o professor da USC Carlos Quiroga participará em duas mesas e uma conferência



cartaz_flmsal19

Hoje dá início o Festival de Literatura Mundo do Sal, um evento que reúne autores, estudiosos, tradutores e mediadores da Literatura-Mundo (diversos fazeres literários contemporâneos) com o objetivo de estimular o diálogo entre estes agentes e, ademais, valorizar a ilha do Sal como destino cultural no Atlântico. Será no hotel Belorizonte da localidade de Santa Marina (Ilha do Sal, Cabo Verde) e decorrerá desde esta quinta-feira até domingo. A Câmara Municipal do Sal e a editora Rosa de Porcelana promovem e organizam a iniciativa, que conta com a curadoria de Inocência Mata

O festival abrirá às 14 horas (GMT-1) com Literaturas dos Países de Língua Portuguesa I – Ensino e Formação de Leitores. A mesa contará com a presença de Agnaldo Rodrigues (Universidade do Estado de Mato Grosso, Brasil), Fátima Fernandez (Universidade de Cabo Verde), Simone Schmidt (Universidade Federal de Santa Catarina, Brasil) e Maria Nazareth Fonseca (Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais, Brasil) como moderadora. Este encontro propõe um “diálogo didático-pedagógico sobre os Estudos Literários” com enfoque nas literaturas da Lusofonia e as suas influências nos estudos de Literatura-Mundo Comparatista.

Despois desta primeira achega, às 15:30 horas será o turno da segunda mesa Literaturas dos Países de Língua Portuguesa II – Crítica e Divulgação, onde participará o professor da USC Carlos Quiroga, que debaterá sobre o estado da arte das literaturas em Língua Portuguesa em matéria de produção literária, dinâmica editorial e circulação de obras e autores na centralidade e periferia literária da Lusofonia. Com ele estarão também Jonuel Gonçalves (Universidade Federal Fluminense, Brasil), Tom Farias (Instituto Bíblico Eduardo Lane, Brasil) e Inocência Mata (Centro de Estudos Comparatistas da Universidade de Lisboa), como moderadora.

Já na tarde, às 17:30 horas, o Presidente da República de Cabo Verde Jorge Carlos Fonseca conducirá a sessão de abertura acompanhado da Curadora Científica. Após o ato institucional, Manuel Brito-Semedo e Susanne Sporrer homenagearão os escritores Orlanda Amirílis e Johann Wolfgang von Goethe. Isto será antes da conferência de Inocência Mata, às 19:30 horas, sobre Literatura-Mundo Comparada: uma ponte para outras culturas e línguas, que moderará Filinto Elísio.

O galego Carlos Quiroga também leccionará a conferência que abrirá a jornada da sexta-feira, A suave pátria que cria a escrita ou o cânone dos afetos, em que estará moderado pelo escritor Gonçalo M. Tavares. Ademais disto,  no sábado às 15:40 horas, participará na mesa de escritores A língua da (minha) escrita: particularismo e pluriversalidade da língua de criação, em que se discutirão questões relacionadas com as línguas escolhidas pelos autores para a sua produção literária, a motivação e os desafios desta escolha.

Além dos encontros estritamente académicos, o Festival de Literatura também visitará escolas nas manhãs dos dias 27 e 28 e oferecerá recitais de poesia –na manhã do dia 29, na cratera dum antigo vulcão reconvertido em salina–, passeios e sessões de leitura nocturnas, em que as pessoas participantes poderão ler fragmentos da sua produção literária ao público. Segundo explicam desde a organização, as pessoas assistentes ao festival são “muito heterogéneas”, incluindo jornalistas, ativistas culturais e escritores ou alunas e alunos do ensino médio.

O resto do programa pode ser consultado a continuação:

SEXTA-FEIRA | DIA 28 DE JUNHO

14:30 horas – Conferência II: A suave pátria que cria a escrita ou o cânone dos afetos. Conferencista: Carlos Quiroga. Moderador: Gonçalo M. Tavares

15:30 horas – Mesa 3: Toda a literatura é universal? Gonçalo M. Tavares | Jorge Carlos Fonseca | Maria Nazareth Fonseca | Filinto Elísio (Moderador).

17:30 horas – Mesa 4: Tradução, divulgação e circulação internacional. Agnaldo Rodrigues | Bárbara Mesquita | Joaquim Arena | Niyi Osundare | Fátima Fernandes (Moderadora)

22.00 horas – Sessão de Leituras no Restaurante Sabores & Livros

SÁBADO| DIA 29 DE JUNHO

9:00 horas – Sessão de Leituras nas Salinas de Pedra de Lume (Património Cultural, Histórico e Natural de Cabo Verde)

14.30 horas – Conferência III: Duas notas críticas sobre a Literatura Cabo-verdiana. Ou talvez três. Conferencista: Jorge Tolentino Moderadora: Maria Nazareth Fonseca

15.30 horas – Mesa 5: A língua da (minha) escrita: Particularismo e pluriversalidade da língua de criação. Bárbara Mesquita | Chi Trung | Domingos Landim | Carlos Quiroga (Moderador)

17.30 horas – Mesa 6: Literatura (d) e resistência.vGeovani Martins | Natacha Magalhães | Oswaldo Osório | Tom Farias (Moderador)

22.00 horas – Sessão de Leituras no Restaurante Sabores & Livros

DOMINGO | DIA 30 DE JUNHO

09.00 horas – Passeio turístico pela Ilha do Sal

14.30 horas – Mesa 7: Literaturas em português no sistema-mundo. Eileen Barbosa | Luís Carlos Patraquim | Pedro Mexia | Manuel Brito-Semedo (Moderador)

16.30 horas – Diálogo com Niyi Osundare/ Talking with Niyi Osundare: O lugar das literaturas africanas no sistema mundial. Filinto Elísio | Inocência Mata

17.30 horas – Sessão de Encerramento. Organizadores do FLMSal | Representante dos Participantes


PUBLICIDADE