Entre margens, encontro de tocadores em Caminha

Artistas de Portugal e da Galiza encherão a vila à beira do Minho desde esta sexta-feira até domingo



Esta sexta-feira 31 de Maio dá início o Encontro de Tocadores ‘Entre margens‘, um evento de três dias no que tocadores de instrumentos tradicionais de distintas gerações são convidados para uma partilha de repertório e técnicas instrumentais da Galiza e de Portugal. O programa inclui concertos, obradoiros para todos públicos, sessões de trabalho entre músicos (oficinas de instrumentos), além duma oficina de danças tradicionais, palestras, feira de construtores de instrumentos e editores musicais, um Fórum EdT, foliadas, convívios, paseios musicais em ferry e bailes.

encontro-tocadores-caminha

MusicTrad, a Associação de Gaiteiros da Ponte Velha, a associação PédeXumbo e o projeto aCentral Folque são os parceiros encarregados de co-produzir um programa que dá o seu primeiro petisco esta quinta-feira com o concerto inaugural de Sérgio Mirra Trio e Pan de Capazo, às 19.30 horas na praça do Reló (A Guarda). Contudo, não será até a sexta-feira que começarão os dias fortes. Às 10 da manhã do dia 31, Mercedes Prieto e Sergio Cobos oferecerão ‘Baile Zampadanças‘, uma atividade lúdica para as alunas do Agrupamento de Escolas Sidónio Pais no Pavilhão Municipal. À tarde, será inaugurada a mostra de construtores de instrumentos musicais tradicionais no Largo Calouste Gulbenkian, que ficará aberta até a meia-noite. Perto desse ponto, no ferryboat St. Rita de Cássia abrirá o encontro de tocadores às 17 horas. Mais tarde, às 19 horas, o edifício Paços do Concelho acolherá a inauguração da exposição itinerante ‘Os cinco hermanos: gaiteiros das margens do Minho‘, com a curadoria de Francisco Caldas e Napoleão Ribeiro. Por último, a jornada fechará às 21.30 horas com os concertos de Carlos Batista e Segue-me à Capela no Largo Calouste Gulbenkian e uma foliada e baile ao improviso.

O segundo dia, sábado 1, será o prato forte desta emenda musical. Já às 10 horas, o público poderá gozar com várias oficinas que funcionarão até as 12 horas. Na Academia Sénior de Caminha estarão os cantos polifónicos com Segue-me à Capela, na biblioteca municipal o Carlos Batista oferecerá um Combo de Cordofonest/Tocata popular  e no museu municipal será a oportunidade para ver e aprender de Xabier Blanco e Inocência Chasquinha sobre a construção de instrumentos musicais singelos. Além disto, o Salão Nobre dos Bombeiros Voluntários também contará com murgas e charangas da mão de Fernando Abreu e Manuel Lima e o Teatro Municipal de Valadares com a dança tradicional: Carballesas de Montse Rivera.

Paralelamente, o Auditório Municipal será o espaço dedicado às conferências, um espaço por onde passarão Fernando Abreu para falar de ‘Charangas. O clarinete na música popular urbana da mudanza de século XIX-XX‘ e Abílio Topa e Daniel Pina Cabral com o seu livro ‘La nuossa gaita‘. Mais tarde, às 15 horas, o ferryboat St. Rita de Cássia cruzará o rio Minho numa travessia musical com tocadores galegos e portugueses ao mesmo tempo que são retomadas as oficinas da manhã e as palestras no auditório. Desta volta, é o turno de Carlos Batista com a conferência ‘Escala curta, corpo pequeno. Estórias do Cavaquinho‘ e de Jorge Castro Ribeiro e Iván Vilela com o seu ‘Projeto Atlas’. Mais tarde, Xurxo Souto apresentará o seu livro-CD ‘Sindo e olelas – Concertina galega‘ e Mercedes Prieto e Maria João Alves falarão de ‘Encontro(s) com a(s) dança(s)‘.

Enfiando o final da jornada, às 19 horas, haverá um encontro de grupos de cavaquinhos da Ribeira Minho no Largo Calouste, onde também o público poderá gozar com os concertos de Obal e Roncos do Diabo, que darão início às 21:30 horas.

Por último, o domingo será o último dia das oficinas, que decorrerão de 10 a 13 horas nos locais assinalados, do mesmo jeito que a mostra de construtores de instrumentos musicais tradicionais no Largo Calouste. Às 11 horas, a praça Conselheiro Silva Torres também será o cenário da animação Rancho de Reis de Riofrio. O Auditório acolherá uma última apresentação pública de ‘Os danzantes dos reis‘, por Eutrópio Rodriguez e Rancho de Reis de Riofrio e a projeção de cinema do documentário ‘Da terrá ao céu‘, uma produção de PédeXumbo sobre a tradição dos mastros tradicionais no concelho de Odemira, realizado por Pedro Grenha e Rui Cacilhas. O encontro fechará a sua edição com uma última travessia musical pelo rio minho às 15 horas a bordo do ferryboat St.Rita de Cássia e a apresentação final dos trabalhos realizados nas oficinas, à mesma hora no Largo Calouste.


PUBLICIDADE