Coediçom de ‘A Doninha e o Taxidermista’, de Séchu Sende

Séchu Sende e a magia da simplicidade narrativa



Sechu_doninhaO Diário Liberdade, a Fundaçom Artábria e a Escola de Ensino Galego Semente apresentam mais um exemplo da mestria na narraçom breve, a cargo do escritor de Padrom Séchu Sende.

Nom é nengumha descoberta, pois ele é suficientemente conhecido no público literário galego, mas este conto como saído do diário pessoal do narrador vem aumentar as pequenas e saborosas estórias que formam a sua obra.

Nesta ocasiom, o Séchu apresenta-se acompanhado de amizades e parentes para partilhar connosco as visitas ao Museu de História Natural de Compostela, um “álbum de cromos” da sua infáncia, que consegue transmitir nom apenas com a simples magia das suas palavras, mas também com lindas ilustraçons de aguarela com que nos apresenta doninhas, macacos, pitas-do-monte, genetas e outras espécies animais.

Páginas coloridas em que a imaginaçom se mistura com pequenos acontecimentos, perfis pessoais com dados de base real, alguns históricos, aproximaçons à história das ciências naturais… e todo com dimensom literária, no melhor estilo do Séchu Sende.

Dá para contar a umha criança, mas contém também referências para público de mais idade. Em definitivo, um pequeno relato belamente ilustrado para miúdos e graúdos.

A nova obra de Séchu Sende pode-se conseguir online no Diário Liberdade ou através das entidades editoras.

Ficha técnica

  • Título: A doninha e o taxidermista
  • Autor: Séchu Sende
  • Caraterísticas: 35 páginas. Ilustrado em cores.
  • Ediçom: ditado em Compostela, no ano 2015, polo Diário Liberdade, a Fundaçom Artábria e a Semente Compostela.

 


PUBLICIDADE