AGAL

  • Luís Cachafeiro : “A língua materna dos meus avôs não era a de nenhum dos seus quase quarenta netos”

    Valentim Fagim entrevista Luís Cachafeiro, de Ourense, professor de Matemáticas que observa com aflição a legislação linguística ao respeito. Julga que o bipartido encetou medidas eficazes para alterar o statu quo da nossa língua. Espera do reintegracionismo e da AGAL que se dialogue com os não-reintegracionistas e que se coloquem debates profundos sobre a língua e o seu porvir.

  • Ismael Pardo : “Na minha relação com a língua nem sempre sou fiel”

    Valentim Fagim entrevista Ismael Pardo Vicente, vigês, Engenheiro Agrónomo, acha divertido estudar português numa EOI da Galiza, é sócio da AGAL pela campanha do 25 de julho.

  • já nas lojas volumes 3 e 4 de Alicerces

    Neste mês de novembro chega a segunda entrega da coleção Alicerces com dous interessantes títulos que apresentamos a seguir: Nem tudo é arte? [email protected] de olhar, da historiadora e crítica da arte Natalia Poncela López. O debate sobre a arte, como é arte, quando é arte e onde é arte, suscita sempre muita conversa e muitas […]

  • AGAL aprova ‘Estratégia binormativista’ para o Galego

    A Assembleia da AGAL realizada no paço da Cultura de Pontevedra no sábado passado aprovou com 25 votos a favor e quatro abstenções um novo eixo programático para trabalhar conjuntamente com o tecido cultural galego: o binormativismo. Com a estratégia binormativista, a associaçom reintegracionista defenderá publicamente que é possível, e até benéfico, o convívio de […]

  • Tánia Ribadulha : “Espero que o galego-português se torne oficial junto com a norma atual, deixando-o à livre escolha de cada quem”

    Valentim Fagim entrevista a nova sócia da AGAL, Tània Ribadulha, mogiá, citadina, galego-falante que quer um futuro sem preconceitos sobre a nossa língua. Estudou um ano de bacharelato nos EUA e quer formar-se em direito humanitário e trabalhar na ONU.

  • Confio-te o meu corpo (Afonso Becerra de Becerreá) | OS LIVROS FALAM

    Através Produtora Literatura dramática: texto literário com valores próprios do género dramático, codificado com palavras. Porém, o espetáculo teatral (ação) sempre acontece entre diversas ações, além do código verbal e os seus valores literários. Prólogo de Tiago Bartolomeu Costa. https://www.atraves-editora.com/produ…

  • Constituída em Braga Rede da GaliLusofonia

    No Sábado, 24 de Novembro, celebrou-se, na Biblioteca Lúcio Craveiro da Silva de Braga, a reunião de constituição da Rede da GaliLusofonia. O presidente da Câmara Municipal de Braga, Ricardo Rio, inaugurou esta reunião, quem viu “com bons olhos este estreitar de laços entre as populações dos dois lados da fronteira, reforçando a identidade comum […]

  • Ilusão – @emgalego

        Através Produtora Na Galiza, a palavra “ilusão” dá lugar a muitos enganos (linguísticos e não só), já que em espanhol lhe dá um valor positivo que nom tem noutras línguas… Explica-no-lo o tradutor Mário Herrero Valeiro.

  • O campo de forças do sistema cultural galego, umha leitura (e II)

    Constantino Garcia (Oviedo, 1927; 2008) acedia à cátedra de Filologia Románica da Universidade Compostelana em 1965; em 1971 promoveu o ILG, bastiom inexpugnável do poder glotopolítico docente e normativo, em posse indiscutida em adiante que nada irá turbar. O posterior conluio ILG/RAG, consagrado na formulaçom conjunta das NOMIG 1982, impulsionará Constantino Garcia à RAG. Este […]

  • Sobre a eutanásia (Brais Arribas)

    Eutanásia no mundo antigo era sinónimo duma morte boa ou apetecível; de facto, tal é o seu significado etimológico. Dalguma maneira, esta conceção da eutanásia como boa morte, apelando ao significado original do termo, deve fazer com que reflitamos sobre o facto de que existem formas de morrer mais propícias ou mais apetecíveis do que […]