Opiniom

  • Fala-lhe galego

    Jon Amil fala sobre a sua experiência em Euskal Herria e traslada as observaçons dessa realidade sociolinguística nas crianças ao caso da Galiza

  • Flores, amores e estrelas

    Manuel Meixide passeia entre grandes clássicos da literatura para explorar qual e como é a beleza que deve ser escrita.

  • Freixanes e o binormativismo: mais discrepâncias de forma que de fundo

    Eduardo Maragoto, presidente da AGAL, opina sobre as declarações de Víctor F. Freixanes sobre a necessidade e as potencialidades do modelo binormativista.

  • Bravo por Greta Thunberg!

    Ramom Varela põe ao nu o colapso que enfrenta o planeta por causa da contaminaçom e a passividade das oligarquias perante do desastre.

  • Da necessidade de um reintegracionismo historiográfico

    Ernesto V. Souza fala da necessidade duma construção narrativa para a Galiza e como esta pode quebrar com os limites da Autonomia.

  • Eco-feminismo no século XXI

    A bióloga e ativista Adela Figueroa analisa o eco-feminismo contemporâneo, exemplos do movimento e questons chave do seu discurso.

  • Misogínia, misossexualidade e misocósmia

    Assistimos nos nossos dias a uma cerimônia da confusão e de impotência na igreja, incapaz de reagir perante o enorme mal-estar das mulheres pola sua situação de inferioridade, subordinação e violência que padecem frente ao sexo masculino. Esta instituição está tão condicionada polos seus documentos fundacionais, que poderíamos denominar a sua constituição, integrada pola Bíblia, […]

  • Andar-se assim queixando

    Cirola vi andar se queixando de que lhi nom dam sas quitações mais des que oi bem sas razões ena conta foi mentes parando logo tenh’ei que nom dissera rem ca era ja quite de todo bem porem faz mal d’andar se assi queixando. Afonso X Os efeitos dos recortes são evidentes. São. Também é […]

  • Concerto para a mão esquerda

    Conta Gregório de Tours que o filho do rei suevo Carriarico se curou miraculosamente da lepra quando recebeu em Braga as relíquias de Martinho de Tours. Pois quem quer ser pai dum filho morto? Quem quer ser órfão? Começo estas notas no dia de São Martinho, dia de “lume, castanhas e vinho”, segundo o provérbio. […]

  • Sempre em Loureda

    ao meu avô, o Vinculeiro de Loureda Sempre se insiste no caráter atlántico do ecossistema galego, quando tradicionalmente os geógrafos, do anarquista Elisée Reclus ao próprio Otero Pedrayo, venhem insistindo em que o que carateriza à Galiza é, mais bem, a sua situaçom de ponte entre o mundo atlántico e o mediterráneo, que se aprecia […]