Opiniom

  • Sempre em Loureda

    ao meu avô, o Vinculeiro de Loureda Sempre se insiste no caráter atlántico do ecossistema galego, quando tradicionalmente os geógrafos, do anarquista Elisée Reclus ao próprio Otero Pedrayo, venhem insistindo em que o que carateriza à Galiza é, mais bem, a sua situaçom de ponte entre o mundo atlántico e o mediterráneo, que se aprecia […]

  • Défices na maturidade cultural galega em três notícias

    Na passada primavera fum convidado polas Profas. Teresa Moure e Sabela Fernández para fazer a conferência de encerramento do Curso de Verão Galego, porta aberta para o mundo, que elas conduzirom na Universidade de Santiago de Compostela. A data marcada foi 29 de junho e o título que dei o de Língua, cultura e comunidade […]

  • Palhas

      Num dos seus deliciosos artigos Moncho Vilar lembrava um encontro de estudantes com Manuel María na Facultade de Filologia da USC[1]. Rematada a conferência, o poeta da Terra Chá preocupou-se de perguntar aos rapazes, um por um, de onde eram. Para a surpresa de Moncho, Manuel María non só sabia perfeitamente onde era que […]

  • Alerta máxima – Confronto global imposto

    Como bem temos falado em anteriores artigos, a elite financeira ocidental escolheu Donald Trump para confrontar o avanço económico chinês, um gigante asiácito impossível de travar em mercados abertos. Isto trouxe consigo um primeiro confronto e um segundo reacomodo entre a própria elite ocidental, resumido na aposta Macrom –ou– Trump. Agora essa divisão pode iniciar […]

  • Da política ‘de facto’ à política ‘de jure’

      Houve em tempos um sapateiro filósofo em Braga que se tornou famoso pelas suas expressões, uma de uso comum em Portugal que tem a ver com a ideia de igualdade, a ausência de discriminação ou de favoritismo, diz assim: “ou há moralidade ou comem todos”. Toda uma declaração de princípios em que se pode […]