Análise

  • Na taberna de Facal

    Nos primeiros anos de andaina do Parlamento Galego uma estranha (e da qual desconheço os motivos) abstenção do BNG perante uma moção polo reconhecimento do direito da Galiza à autodeterminação, permitiu a Fraga fazer aquela piada fácil e paternalista de que, na nossa Terra, tal reivindicação “só a pedem Camilo Nogueira e o seu cunhado”. […]

  • Mulheres, territórios e memórias: I Encontro de mulheres da lusofonia

    Nos vindouros dias 18 e 19 de março decorrerá o I Encontro de Mulheres da Lusofonia em Vilar de Santos, no Museu da Límia e na Arca da Noe. O Encontro celebra-se baixo o lema “Mulheres, territórios e memórias” O I Encontro de Mulheres na Lusofonia é organizado pela AGLP (Academia Galega da Língua Portuguesa) […]

  • Nom sou nenhum troféu

    Nom sou nenhum troféu Nom quero as tuas medalhas. ( 8 de março 2017) Sinto as tuas medalhas cravadas na minha pele. Posso perceber o lastre de seu peso morto pendurado do meu peito enxoito. E a gravidade, Que é lei inexorável, alastra-me ao chão carregada com o duro metal de todas as tuas medalhas […]

  • Comunicado da C.L. da AEG sobre ‘Os Apelidos en Galego’ da RAG

    Reproduzimos na íntegra, pelo seu interesse, o comunicado da Comissom Lingüística da Associaçom de Estudos Galegos analisando criticamente a publicação “normalizadora” da Real Academia Galega (RAG) ‘Os Apelidos en Galego: Orientacións para a súa Normalización‘. A propósito de ‘Os Apelidos en Galego: Orientacións para a súa Normalización’, da Real Academia Galega Comunicado da Comissom Lingüística da […]

  • EXPLICAR AOS ESCOLARES O ABSURDO DO RACISMO

                                                  Ao redor da data de 24 de março celebra-se em muitos lugares do mundo a denominada Semana contra o racismo. Tema, o do racismo, que é necessário tratar adequadamente nas aulas dos nossos estabelecimentos de ensino. Para conseguir estudantes com uma educação isenta do preconceito racista, tão infame e tão negativo. Trabalhar com o […]

  • Por um novo Milénio de Paz

      “Não acredite em algo simplesmente porque ouviu. Não acredite em algo simplesmente porque todos falam a respeito. Não acredite em algo simplesmente porque está escrito em seus livros religiosos. Não acredite em algo só porque seus professores e mestres dizem que é verdade. Não acredite em tradições só porque foram passadas de geração em […]

  • A Igreja defensora da cultura na Idade Média?

    É uma afirmação recorrente em vários reputados teólogos da nossa terra que a Igreja foi a defensora da cultura na Idade Média, que se Justifica dizendo que a única cultura que havia era a que se fazia nos conventos. Creio que isto tem grande parte de verdade, mas é confusionista porque se se fez cultura […]

  • Xico Paradelo: “Enquanto amplos setores do chamado nacionalismo ou soberanismo não assumirem a urgência de mudar o rumo da língua e da sua norma, não sairemos desta etapa histórica”

    Valentim Fagim entrevista Xico Paradelo, reconhecido desenhador, multifacético veterano e discreto ativista, animador e dinamizador do mundo reintegracionista. Hoje Apresenta em A Galheira (Ourense), a HLBD

  • A MULHER INDIANA E SUA PROBLEMÁTICA

    Aproveitando a sinalada data do 8 de março, Dia da mulher trabalhadora, queremos trazer hoje à palestra a situação em que se encontram as mulheres nesse grande subcontinente asiático. Ao contrário do que muitos pensam, não é a miséria e a fame o problema maior, que em ocidente, com tanta miséria mental, sim que temos […]

  • Comparar a toponímia galega e basca com n-gramas*

      * Um dia, tomando um coffee, os dous autores deste pequeno artigo brinquedo, começamos a falar, que havia alguma toponímia galega que parecia basco: Aranza (em Lugo e em Soutomaior), Orbazai (em Lugo), Mabegondo, e outros. Começamos a brincar com a ideia, de provar como quanto de parecidas eram a toponímia basca e a […]