Carvalho Calero merece um 17 de maio ao 100%: 2021

A AGAL define a sua posiçom perante a proposta da RAG de adiar o Dia das Letras para outubro



carvalho-mosaicoPor causa da grave crise sanitária que estamos a padecer, o Ano 2020 de celebraçom de Carvalho Calero nom se vai produzir normalmente. O dia 17 de maio nom vai contar com os eventos centrais que caracterizam cada Dia das Letras e nem antes nem depois desse dia se terá produzido algo que nós consideramos mais importante ainda: a reflexom no ensino, e no conjunto da sociedade, em relaçom à sua obra. É esta a intençom de umha data em cuja inauguraçom o próprio Carvalho Calero participou. Mas o que teria sido umha pena no caso de qualquer outro autor ou autora homenageada em anos anteriores, multiplica a sua gravidade no caso de Carvalho Calero, o mais completo polígrafo do século XX, imprescindível para entender a língua e a literatura galegas tal como som estudadas hoje nas escolas e também para compreender propostas relativas à língua que precisam de ser debatidas com calma no ensino e no conjunto da sociedade.

Para resolver o problema, a RAG acabou de dar a conhecer um dia alternativo para concentrar os atos de homenagem: 31 de outubro, dia seguinte ao aniversário do nascimento do autor. O objetivo do mesmo seria evitar que o Dia das Letras seja levado a 2021, ideia que foi ganhando adesões nas últimas semanas e que nom contava com a oposiçom de nengumha instituiçom nem coletivo cultural. É a RAG que tem a última palavra em relaçom a isto, mas devemos reconhecer que nom nos satisfai a proposta:

a) Na data de hoje nom podemos garantir que em outubro seja possível haver concentrações de pessoas das características das que se iriam produzir neste Dia das Letras 2020. No caso da AGAL, em colaboraçom com a Xunta de Galicia, o Concello de Santiago, a USC e a Deputación da Coruña, estariam em risco dous eventos centrais na celebraçom destas Letras: a Leitura Continuada do Scórpio de Carvalho Calero no Salón Nobre da USC e a exposiçom “A voz presente” que percorreria 10 localidades galegas e umha portuguesa.

Estariam em risco, entre outros, dous eventos centrais na celebraçom destas Letras: a Leitura Continuada do Scórpio de Carvalho Calero no Salón Nobre da USC e a exposiçom “A voz presente” que percorreria 10 localidades galegas e umha portuguesa.

b) Outras atividades que nom requerem público também se veriam gravemente afetadas, principalmente concursos, unidades didáticas ou os muitos livros já editados ou à beira de editar-se neste momento do ano.

c) Porém, seria o ensino o âmbito mais afetado. As atividades programadas (completamente ou ainda incipientemente) para aproveitar a figura do autor perderiam grande parte do seu sentido em outubro, quando as dinâmicas do começo do ano letivo, agravadas pola concentraçom de atividades que ficariam adiadas desta primavera, os impediriam de aproveitar sequer minimamente umha figura tam complexa como a de Carvalho Calero. No mês de outubro, com muito trabalho de planificaçom e burocracia em andamento, a recetividade de umha celebraçom deste tipo, emblemática do mês de maio, veria-se drasticamente reduzida e é provável que muitos centros educativos renunciassem a unir-se a umha celebraçom prevista para maio. Mesmo nos centros mais dinâmicos, qualquer proposta educativa complementar altera a grelha de horários de aulas e deve concorrer com outras datas importantes nesse período do ano (p. ex. o Samaim, com certa tradiçom em alguns centros, ou o 25 de Novembro, contra a violência sofrida polas mulheres). Todo isto traria consigo tensões nos centros de ensino que afetariam gravemente a coordenaçom de atividades relacionadas com Carvalho Calero e mesmo letivas. O próprio professorado, que viu interrompida a sua formaçom sobre Carvalho Calero mediante programas de formaçom, estaria longe de poder trabalhar um autor tam complexo e veria-se obrigado a trabalhar improvisadamente a sua figura.

No mês de outubro a recetividade de umha celebraçom deste tipo no ensino veria-se drasticamente reduzida e é provável que muitos centros educativos renunciassem a unir-se a umha celebraçom prevista para maio.

Nom fai sentido celebrar umhas letras ao 10% podendo fazê-lo ao 100%. As Letras Galegas estám vinculadas a outro período do ano (Maio) e assim devem continuar. Da mesma forma que outros eventos culturais e desportivos (alguns tam importantes como os Jogos Olímpicos ou o EuroBasket), também as nossas Letras devem ser adiadas. Dom Ricardo, um dos autores mais completos do século XX galego nom merece ficar submetido a tantas incertezas nem ao risco de ficar desconhecido pola maioria dos nossos e das nossas escolares. Por isso, antes de decidir outra nova figura para o ano que vem (que normalmente se dá a conhecer no início de cada verão), a RAG deve considerar o adiamento da homenagem a Carvalho Calero para o próximo dia 17 de maio de 2021.


PUBLICIDADE

  • E. Vazquez Souza

    Acho que é muito doado… este ano poderia-se celebrar o ano Carballo Calero em outubro e, em 2021 o ano Carvalho Calero… XD