Todos os artigos de Adela Figueroa Panisse

Adela Clorinda Figueroa Panisse é de Lugo (Galiza), fazedora de versos, observadora do mundo e cuidadora de amizades. Trabalhadora no ambientalismo e na criatividade da palavra. Foi professora e lutadora pela recuperação da dignidade da Galiza e, ainda, pela solidariedade entre os seres humanos e a sua reconciliação com a terra. Gosta de rir, cantar e de contar contos. Também de escutar histórias, de preferência ternas e de humor.
  • Encontro Poético da Raia em Elvas

    Adela Figueroa traz para o PGL crónica do encontro de poesia na Raia que teve lugar no dia 12 de setembro na vila de Santa Eulália pertencente a Elvas.

  • Galiza e Portugal polos caminhos da poesia

    No sábado dia 5 de setembro 2020 decorreu na Câmara Municipal de Espinho, Portugal o encontro de poetas da Associação Luso-Galaica Poetas do Reencontro.

  • A toleráncia da juventude

    Adela Figueroa ganha concurso de poesia com um texto em reintegrado, sobre as Letras Galegas, convocado polo periódico El Progreso.

  • Indígenas

    Poema de Adela Figueroa lido no recital na honra de Rosalia na semana de fevereiro em que se celebrava o aniversário de seu nascimento.

  • Morreu Malaca Casteleiro, um amigo da Galiza

    Com a perda do doutor João Malaca Casteleiro Galiza perde um de seus grandes valedores, e o mundo da lusofonia um de suas maiores figuras.

  • O ano de Carvalho Calero

    Tenho que reconhecer que me sinto contenta por contemplar a força com que começa o ano de Dom Ricardo. Não é para menos. Indiscutivelmente foi a grande figura das letras galegas do século XX. A sua honestidade , quer intelectual, quer material deixa um ronsel de cultura e de orgulho para quem nascemos nesta Terra, […]

  • A música e a fala

    Um Queipo no Lar traz dentro o concerto do Coro do Hospital de Lugo em homenagem da língua galega, celebrado no passado mês e dirigido por Fernando Gómez Jácome.

  • As desgraças dos transportes na Galiza

    Uma reflexão pos-eleitoral de Adela Figueroa Panisse a conto das deficiências nas infraestruturas de transporte que sofrem as galegas.

  • Soneto improvisado para Estraviz

    SONETO IMPROVISADO PARA ISAAC ALONSO ESTRAVIZ Honrado como representante da Igreja comprometida com a Galiza Eira da Xoana, 26 Outubro de 2019 Este  inquedo Galego “protestão” foi pequeno d’aldeia orgulhoso, debruzou sobre as letras habilidoso Em quanto o  mundo percorría brincalhão. Não foi sua vida singela nem doada mas fiz da adversidade sua virtude aprendendo […]

  • Cabelos de prata. Na defessa do nosso Planeta

    Vejo-as todos os dias. Tomando banho, falando, rindo, participando nas mobilizações de repulsa a isto ou outro. São as da geração que tirou a faixa , que começou a tomar a pílula que estudou na universidade, que protagonizou os primeiros divórcios da Espanha. Que viajou polo mundo olhando outros países e outros costumes. De facto, […]