Aracéli



Ainda bem que temos experiência em afrontar adversidades. Tanto tempo à espera de podermos celebrar homenagem internacional a Ricardo Carvalho Calero e tivo que aparecer um elemento estranho que nos obrigou a adiar numerosas iniciativas, muitas delas previstas para o período anual do Ciclo da Língua (de 17 de maio a 10 de junho). Como se isso nom fosse suficiente, justamente no Dia Internacional do nosso idioma empreendeu a viagem para o Além a nossa admirada Aracéli Herrero Figueroa.
Com a fundaçom da AGAL, começou o processo de socializaçom do Reintegracionismo: falar em galego e escrever à galega. Entre 1982 e 1990, assumimos essa responsabilidade moços e moças de todas as disciplinas do saber e no nosso processo de auto afirmaçom tivemos como grandes referentes os homens e mulheres da escola de D. Ricardo Carvalho. A Geraçom da Socializaçom tivemos o privilégio de receber a orientaçom generosa de Aurora Marco, de Martinho M. Santalha, de José Luís Rodríguez, de Isaac Alonso Estraviz e de Aracéli Herrero Figueroa, sob a coordenaçom de Maria do Carmo Henríquez.

Entre 1982 e 1990, assumimos a responsabilidade de socializaçom do Reintegracionismo moços e moças de todas as disciplinas do saber e no nosso processo de auto afirmaçom tivemos como grandes referentes os homens e mulheres da escola de D. Ricardo Carvalho. A Geraçom da Socializaçom tivemos o privilégio de receber a orientaçom generosa de Aurora Marco, de Martinho M. Santalha, de José Luís Rodríguez, de Isaac Alonso Estraviz e de Aracéli Herrero Figueroa, sob a coordenaçom de Maria do Carmo Henríquez.

Aracéli H. Figueroa era como a irmá mais nova de Luz Pozo. A personificaçom da elegáncia na estética e no tratamento. Enquanto alunos de Filologia, ouvimo-la nos Congressos Internacionais da Língua Galego-Portuguesa e noutros encontros de didáctica; e uns anos mais tarde chegamos a colaborar na organizaçom do Congresso Álvaro Cunqueiro celebrado em Mondonhedo entre os dias 19 e 21 de Abril de 1991. O seu contributo foi fundamental para conseguirmos ter um bom programa, para o decorrer das três intensas jornadas que durou o encontro e para o processo de ediçom e de divulgaçom das actas.
Foi-se a aluna que D. Ricardo Carvalho tivo primeiro em Fingoi e depois na Faculdade de Filosofia e Letras da Universidade de Santiago, a Catedrática da Escola de Formaçom do Professorado de Lugo e a Directora do Departamento de Didáctica da Língua e da Literatura. Connosco ficam os seus estudos sobre o teatro em Fingoi, sobre Pimentel, Cunqueiro, Carvalho Calero, Emília Pardo Bazán, Ánxel Fole, Armando Cotarelo ou Xesús Rodríguez López.
Além de transmitirmos as condolências à sua familia, nestas linhas de lembrança queremos fazer chegar as nossas palavras de alento para Aurora Marco, Ramom Reimunde e Adela Figueroa, que perdem umha companheira e umha amiga.

Bernardo Penabade

Bernardo Penabade

(Granhas do Sor, 1964) é professor de Língua e Literatura em Burela. Desde 2004 participa na equipa promotora da intervenção educativa Modelo Burela, dentro da qual nasceram os programas radiofónicos Projeto Neo (2012) e Grandes Vozes do Nosso Mundo.
Bernardo Penabade


PUBLICIDADE

  • http://www.madeiradeuz.org madeiradeuz

    Formoso e muito necessário artigo, Bernardo. Um grande abraço para toda a família e amizades da Aracéli.

  • Ernesto Vazquez Souza

    Lamento imenso, caro amigo, uma forte aperta.

  • https://pglingua.org/index.php abanhos

    Bem bom

  • Celso Alvarez Cáccamo

    Belo e sentido texto, Bernardo.