A expo percorre a vida e obra de Carvalho Calero

Apresentada exposiçom “CC2020 A Voz Presente” na Corunha

Está aberta ao público na biblioteca Miguel González Garcés



qyutzimtA Biblioteca Miguel González Garcés acolhe desde ontem a exposiçom sobre a vida, obra e ideário de Carvalho Calero, confecionada pola AGAL e a Xunta de Galicia. Na apresentaçom da mesma intervinhérom a diretora da Biblioteca, María Sol González Regal, a filha do homenageado polas Letras, Margarita Carballo Ramos, o Secretário Geral de Política Lingüística, Valentín García, o presidente da AGAL, Eduardo Maragoto e o diretor de Ouvirmos, empresa executora da expo, José Aldea. Também contou com a presença de outro dos Departamentos que a tornárom possível: Anxo Lorenzo, Diretor Geral de Políticas Culturais.

Em relaçom à exposiçom, o presidente da AGAL destacou que “se trata-se de um enorme esforço de síntese, pois quem conheça a sua obra bem sabe que praticamente cada fase da sua vida e cada género dos que cultivou mereceria umha exposiçom do mesmo tamanho”. Para fazer esse trabalho de síntese contou-se com dous professores da USC especialistas na sua obra. José Luís Rodrigues e Carlos Quiroga, professores da USC. O primeiro destes comissários, José Luís Rodríguez foi também grande amigo de Carvalho e um dos fundadores da AGAL no ano 1981.

A Coruña O secretario xeral de Política Lingüística, Valentín García, visitará a exposición Carvalho Calero. A voz presente, conmemorativa das Letras Galegas 2020. Na Biblioteca Pública da Coruña Miguel González Garcés 17/09/2020 Foto: Moncho Fuentes / AGN A Coruña

Foto: Moncho Fuentes / AGN A Coruña

O presidente da AGAL também destacou o título da expo “A voz presente” que fai referência a que a vida e a obra de Carvalho Calero é explicada polas suas próprias palavras e também ao legado que Carvalho deixou na nossa sociedade. “De todo o galeguismo, parece-me evidente que a voz de Carvalho continua a ser das mais presentes entre nós. Os seus textos continuam a ser discutidos e o eco das suas propostas, as que propugnavam conduzir o galego para a sua coordenaçom lingüística no espaço lusófono, nom só chega à atualidade senom que é provável, tal como está a situaçom da língua neste momento, que se projetem no futuro.”

Margarita Carballo Ramos, filha mais velha do autor, lamentou as circunstâncias sanitárias que estám a provocar que o seu pai esteja a ter muitos problemas para ser celebrado normalmente, “especialmente polos ensinantes” e reivindicou o prolongamento das atividades vinculadas a esta celebraçom. Vítor Freixantes admitiu a gravidade das circunstâncias, mas valorizou a atençom que recebeu Carvalho Calero na Internet e considerou que, em qualquer caso, o debate sobre a sua figura e pensamento nom tem porque acabar este ano.

Margarita Carballo Ramos, filha mais velha do autor, lamentou as circunstâncias sanitárias que estám a provocar que o seu pai esteja a ter muitos problemas para ser celebrado normalmente, “especialmente polos ensinantes” e reivindicou o prolongamento das atividades vinculadas a esta celebraçom.

Por sua vez, Valentín García destacou que homenageamos “um dos grandes artífices da nossa cultura, fortemente comprometido durante toda a sua vida com o galeguismo ativo e imprescindível criador literário nos campos poético, narrativo e teatral, também imprescindível desde o seu magistério nas aulas universitárias de Linguística e Literatura Galega ou desde a influência que exercêrom, já nos seus derradeiros anos, as suas ideias sobre a língua”.


PUBLICIDADE