Agenda

Jun
26
Ter
Galego, porta aberta para o mundo. Curso de verão na USC @ Faculdade de Filologia da USC

OBJETIVOS curso-de-verao
Hoje a língua galega experimenta uma situação crítica: todos os indicadores alertam sobre o seu esmorecimento progressivo, especialmente entre falantes jovens. Como símbolo de identidade coletiva nuns tempos onde o termo nação suscita controvérsias, as políticas ensaiadas para a sua promoção e dinamização não semelham ter produzido resultados satisfactórios. Nesse contexto, o curso Galego, porta aberta para o mundo tenciona abrir um debate entre diferentes agentes sociais, políticos e culturais e analisarmos as hipóteses de promoção da língua à luz da Lei Paz Andrade, aprovada no Parlamento Galego, e destinada a introduzir o português na educação e nos meios de comunicação para frear a morte da língua desenvolvendo as suas possibilidades internacionais. O galego internacional implica aceitar uma comunidade de variantes na lusofonia que apaga fronteiras numa sociedade cada vez mais interconectada, dinámica e plural. As suas vantagens culturais e económicas, os seus alicerces filológicos e sociolinguísticos e a sua potencialidade para revitalizar o idioma serão estudados com detalhe. Explicarmos o como e o porquê desta opção, estudarmos as suas consequências no ensino, nos produtos culturais e simbólicos e na realidade económica imediata, sem excluirmos as posturas críticas ou céticas tornou-se numa questão fulcral para a sociedade galega atual; um assunto, aliás, que liga o passado com o futuro, o nosso território e a nossa cultura com outras geografias e perceções da realidade, visando recuperar o papel da Universidade como espaço de ponte entre as teorias académicas e o bem-estar social.

PROGRAMA
26/06 Do que estamos a falar
9:30 Inauguração a cargo de Valentín García, Secretario Xeral de Política Lingüística.
10-11:30: Os grupos políticos e a Lei Paz Andrade. Mesa redonda. Moderador: Ângelo Cristóvão, vice-presidente da AGLP. Participam: Concepción Burgo (deputada no Parlamento Galego, PSOE), Ánxeles Cuña (deputada no Parlamento Galego, En Marea), César Fernández Gil (deputado no Parlamento Galego, PP), Olalla Rodil (deputada no Parlamento Galego, BNG).
12-13:30: Pode ser o galego uma oportunidade? Valentim R. Fagim (prof. de português na EOI) e José Ramom Pichel (engenheiro informático).
16-17:30: Que foi do português no ensino? Mesa redonda. Moderador: Carlos Quiroga (prof. da USC). Participantes: Miguel Rios (prof. de ensino secundário) Carme Saborido (prof. de ensino secundário), Carlos Valcárcel (prof. da UDC).
18-20: Empresas que prometem romper fronteiras. Participantes: Paulo Cundins (Dinahosting), José Ramom Pichel (imaxin/software), Ramom Pinheiro (aCentral Folque), Manuel Vázquez (Rede Galega de Empresas).
27/06 Estratégias para internacionalizar a língua
10-11:30: Aprender e desaprender galego-português a toda a rapidez. Antia Cortiças e Valentim Fagim (professores de português na EOI).
12-14:00: Dinâmica de grupos: o dilema de mudarmos de hábitos. Sabela Fernández (prof. de ensino secundário) e Teresa Moure (prof. da USC).
16–17:30: Como nos vêem lá fora? Marco Neves (prof. na Univ. de Lisboa) e Joana Magalhães (Investigadora pós-doutoramento no Instituto de Investigación Biomédica da Corunha)
18-20: Em carne viva. Recital com as poetas Susana Arins, Tiago A. Costa, Mário Herrero, Concha Rousia.
28/06 Pontos críticos
10-11:30: Argumentos céticos ou contrários ao galego internacional. Antón Dobao (linguista na CRTVG)
12-13:30: Que se passa com as mulheres e a língua? Mesa redonda. Moderadora: Llerena Perozo (editora). Participantes: Susana Arins (prof. ensino secundário), Antia Cortiças (prof. na EOI), Raquel Miragaia (prof. ensino secundário).
16-17:30: Documentário Porta para o exterior e debate com @s [email protected] Sabela Fernández e José Ramon Pichel.
18-20:00: Editar na normativa internacional, o que pensam as editoras. Mesa redonda. Moderador: Roberto Samartim (prof. da UDC). Participantes: Manuel Bragado (Xerais), Francisco Castro (Galaxia), Teresa Crisanta Pilhado (Através), Rafael Xaneiro (Axóuxere).
29/06 A obter conclusões
10-11:30: O futuro da língua em cifras. Jorge Mira (prof. da USC)
12-14:00: Pode o audiovisual acelerar o encontro cultural galego-português? Moderadora: Fernanda Tabarés (diretora de Voz Audiovisual). Participantes: Fernando R. Ojea, Dir. de Contidos da CRTVG e Teresa Paixão, Diretora de programas RPT2.
16-17:30: Stop Apartheid e conclusões do curso. Mário Herrero (tradutor, poeta e investigador) e Teresa Moure (prof. da USC).
18-19:30: Palestra de clausura: Língua, cultura e comunidade galega: Tentativas para maior coesão e satisfação. Elias J. Torres (prof. da USC)
19:30 Entrega de diplomas

Jul
2
Seg
Lançamento de ‘Confio-te o meu corpo’ em Cangas @ Auditório Municipal de Cangas
Jul [email protected]:00 pm_10:00 pm

Dentro da programação da Mostra Internacional de Teatro Cómico e Festivo de Cangas, Afonso Becerra de Becerreá apresentará o seu livro mais recente, Confio-te o meu corpo. A dramaturgia pós-dramática, 2º volume da nova coleção da Através Editora Alicerces.

O lançamento decorrerá na segunda-feira 2 de julho no Auditório Municipal de Cangas após o espetáculo pós-dramático Chic Flick que terá lugar às 20h00.dramaturgia_recorte

Jul
15
Dom
Lançamento de ‘Confio-te o meu corpo’ em Ribadávia @ Sala de Atos do Concelho (Praça Maior, 4 - Ribadávia)
Jul [email protected]:30 pm_10:30 pm

Dentro da programação da Mostra Internacional de Teatro de Ribadávia, Afonso Becerra de Becerreá apresentará o seu livro mais recente, Confio-te o meu corpo. A dramaturgia pós-dramática, 2º volume da nova coleção da Através Editora Alicerces.

O lançamento decorrerá no domingo 15 de julho, às 21h30, na sala de atos do Concelho (Praça Maior, 4) com a participação do prologuista do livro, Tiago Guedes, diretor do Teatro Municipal Rivoli do Porto.

dramaturgia_recorte

Nov
28
Qua
Os Primórdios da Nossa Língua Escrita: textos e contextos @ Museu do Povo Galego (S. Domingos de Bonaval - Compostela)
Nov [email protected]:00 pm_7:30 pm

A Associaçom Galega da Língua (AGAL) organiza, no âmbito do projeto de criaçom do documentário “Pacto de Irmãos“, o encontro “Os Primórdios da Nossa Língua Escrita: textos e contextos”, foro para contemplar com uma visom o mais transversal possível a sociedade, as estruturas e circunstáncias históricas em sentido amplo das manifestações escritas no quadro da Idade Média.

Santiago de Compostela, 28 de novembro de 2018. Museu do Povo Galego.

Programa: primordios_mpg_28_11-001
12h. “Os primórdios da lírica através de textos”.
Isabel Morán. Professora Titular de Literatura Portuguesa da USC.
Roteiro pola zona velha com final em Bonaval. Ponto de encontro: Praça de Cervantes. Duraçom aproximada: 2hs. Inscriçom prévia até 27 de novembro: [email protected]

16h30. Apresentaçom.
Eduardo S. Maragoto. Presidente da Associaçom Galega da Língua.

16h35. “A irrupçom dos romances na escrita. As línguas nacionais“.
José Luís Rodríguez. Catedrático reformado de Filologia Galega e Portuguesa.

18h. “O romance na documentaçom instrumental galego-portuguesa: primeiros testemunhos”.
José António Souto Cabo. Professor Titular de Língua Portuguesa da USC.

dep_corunha

Evento organizado em colaboraçom com a Rede de Estudos Medievais Interdisciplinares, o Museu do Povo Galego e a USC.

Subvencionado pola Deputaçom da Corunha.

 

 

Jun
25
Ter
Galego, porta aberta para o mundo 2: Língua, pensamento e cultura na Galiza e Portugal @ Auditório Municipal de Rianjo

Na edição de 2019 o curso da Universidade de Verão Galego, porta aberta para o mundo 2 continua com as questões linguísticas que o ocuparam em 2018, mas agora porá-se o foco em analisar (e vigorizar) os contatos culturais realmente existentes entre os povos galego e português. Os objetivos principais do curso serão:

  • Revisar a crítica situação da língua na sociedade galega, idealizando alternativas rigorosas que contornem o riso de esmorecimento
  • Debater sobre o modelo internacional da língua (ou comunidade de variantes linguísticas na lusofonia, entre elas a variante galega e a variante portuguesa) como hipótese idónea para o desenvolvimento económico e social de duas comunidades que já partilham forte laços
  • Desenvolver as possibilidades da Lei Paz Andrade, aprovada por unanimidade no Parlamento galego e destinada a introduzir o português no ensino e nos médios de comunicação
  • Conhecer diversas e atuais linhas de pensamento comum a ambos os lados da fronteira política
  • Aprimorar o relacionamento cultural galego-português, como uma riqueza histórica e um património partilhado para maior satisfação e bem-estar da comunidade

 

PROGRAMA 

Dia 25/06: O contacto cultural entre a Galiza e Portugal 
9:00. Receção do alunado e inscrição em grupos de trabalho. curso-verao-2
9:30. Inauguração a cargo de Valentín García, Secretário Geral de Política Linguística da Junta da Galiza, e Adolfo Muíños, Alcalde de Rianjo.
10:30-12:00. Indígenas que não hão de sobreviver, indígenas que querem sobreviver. Práticas ecolinguísticas. Teresa Moure.
12:30-14:00. Galiza-Portugal: Com a língua além da língua. Elias Torres.
16:00-17:30: Ofici
na de língua 1: Dicas para internacionalizarmos o galego. Sabela Fernández.

18:00-20:00. Fazermos cultura 1: Cultura escrita e práticas de resistência em Rianjo: o projeto Axóuxere. Roberto Abuín.

Dia 26/06: Pensamento atual ao norte e ao sul do Minho
10:00-11:30. A cultura da morte e o debate sobre a eutanásia. Gilberto do Couto e Brais Arribas.
12:00-14:00. A cultura do género e as novas masculinidades. Carme Adán, Jorge G. Marín e Marco Gonçalves.
16:00-17:30. Oficina de língua 2: O galego visto com olhos portugueses. Sérgio Condeço e Fausta Pereira.
18:00-20:00. Fazermos cultura 2: Se não posso dançar, não é a minha revolução. Obradoiro de dança galego-portuguesa por Carme Campo e Chus Caramés de Andar cos tempos.

Dia 27/06: Práticas culturais cá e lá 
10:00-11:30. Quando as palavras ferem: leis de estado e delitos de ódio. Xoán Antón Pérez Lema.
12:00-14:00. Artes plásticas e visuais em países periféricos: projeto impossível? Teresa Torres de Eça e Natalia Poncela.
16:00-17:30. Oficina de língua 3: Como detetarmos aquele castelhanismo oculto. Valentim R. Fagim.
18:00. Fazermos cultura 3: Todas à cena. Obradoiro de teatro pós-dramático. Afonso Becerra.

Dia 28/06: A título de conclusões 
10:00-11:30. O papel de falantes, diásporas e centros sociais na internacionalização da língua. Alex Dayán Fernández e Beatriz Bieites.
12:00-14:00. Onde as portas ficam abertas: o que julgam as pessoas inscritas neste curso. Debate aberto guiado por Sabela Fernández.
16:00-17:30. Palestra de clausura: A prática dos cuidados e o diálogo intercultural. Lina Coelho e Brais Arribas.
18-30-20:00. Fazermos cultura 4: Uma descida em paraquedas até à música que chamam de culta. Concerto didático. Xurxo Varela.
Entrega de diplomas e encerramento