17-M: Dia das Letras Galegas

A AGAL reivindica um “novo equilíbrio” para o galego



binormativismo logo 2

A AGAL volta ao Dia das Letras, desta vez sem encenaçom mascarada. O “binormativismo”, que tem sido defendido pola AGAL e por diferentes intelectuais galegos nos últimos meses, comparecerá na manife que A Mesa está a preparar em Compostela (sexta-feira 17, Alameda, 12h) através de umha faixa, flyers e t-shirts que serám oferecidas grátis a todos e todas as participantes na delegaçom agálica.

A proposta binormativista da AGAL assenta num novo equilíbrio para o galego que será explicado na mani-festa-ação através deste comunicado:

BN: um novo equilíbrio para o galego

As sociedades, que já mudárom muito nas últimas décadas em termos comunicativos, vam continuar a transformar-se a toda a velocidade. Com elas, também as relações linguísticas entre as pessoas. E como? Em que sentido mudarám? Nom o podemos anterver com precisom, mas é bem provável que ao mesmo tempo que se diversificam as relações que as pessoas estabelecem, deste país ou doutro, deste âmbito profissional ou doutro, também se tornarám extremamente variadas as razões para as pessoas optarem por umha língua ou outra. Seremos capazes de ir prepararando-nos para as condições em que nos colocará este desafio? Em que sentido pode agir o movimento normalizador?

A AGAL tem um programa: o aproveitamento em favor de toda a populaçom galega da nossa posiçom privilegiada em termos linguísticos. Qualquer análise relativa à normalizaçom do galego na nossa sociedade deve fazer-se contemplando que este já convive, de facto, com o espanhol, e que ainda virá a conviver cada vez mais com o inglês nas próximas décadas. E nom só: pense-se o que se pensar sobre a identidade linguística galego-portuguesa, qualquer análise relativa à normalizaçom do galego deve fazer-se também contemplando que o nosso idioma tem umha relaçom polo menos especial com outra língua internacional, umha das mais faladas do mundo: o português.

O binormativismo representa um primeiro chanço para ir reorientando a política linguística oficial no sentido de ela acompanhar os interesses culturais da maioria da populaçom. Trata-se de umha política linguística pensada para aproveitar em favor de toda a populaçom as diferentes posturas que existem em relaçom à codificaçom do idioma. Ela é aplicada noutros países, como por exemplo a Noruega ou o Luxemburgo, cujas experiências poderíamos ter em conta.

A nosso ver, entre os objetivos de umha nova política linguística, de um novo equilíbrio (new balance), deve encontrar-se cuidar das diferentes motivações que podem levar as pessoas a usarem a nossa língua, começando por otimizar o que de melhor têm as diferentes tendências normativas em prol do galego: a que procura identidade própria e a que procura convergir com a Lusofonia.

Seja como for, no futuro será importante poder percorrer o caminho desbravado por ambas as posturas sem ter esquecido ninguém no caminho.

Participa!

A AGAL chama só[email protected], simpatizantes e [email protected] à participação na manife, fazendo parte da sua comitiva, com faixa, panfletos, camisola e boa disposiçom. O lugar de encontro prévio à manifestaçom será o bar Arca da Velha, próximo à Alameda polo lado das Marias.

Por sua vez umha delegaçom da AGAL também estará presente no ato de homenagem que prestará a Real Academia Galega a Antom Fráguas na Carvalheira de Famelga (Cerdedo-Cotovade).


PUBLICIDADE