AGAL e Xunta de Galicia assinam convénio por 28.000 euros no Ano Carvalho



expo-cc2020-mondon%cc%83edo1O conselheiro de Cultura, Román Rodríguez González, e o presidente da Associaçom Galega da Língua (AGAL) acabam de assinar um convénio de colaboraçom para a dinamizaçom linguística e a difusom cultural no ano 2020, cujas letras som dedicadas ao grande referente intelectual da associaçom: Ricardo Carvalho Calero.

Ao abrigo deste convénio, cujas linhas fundamentais já foram apresentadas em conferência de imprensa no dia 14 de maio, a AGAL compromete-se a realizar o principal projeto expositivo anunciado por enquanto sobre sobre a vida, a obra e o legado de Carvalho Calero “A voz presente”, cuja versom reduzida já começou a itinerar esta semana na vila de Mondonhedo e que pretende chegar a mais 11 localidades, entre elas a portuguesa de Viana do Castelo, se as condições sanitárias o permitirem.

Segundo o convénio, a AGAL também se deve encarregar de elaborar umha página web que recolha os aspetos fundamentais da vida e da obra de Carvalho Calero e cederá gratuitamente a identidade corporativa criada polo artista Pancho Lapeña para que poda ser usada por diferentes organismos públicos e privados ao longo do ano. O convénio menciona ainda outras atividades, como material didático, o projeto documental De Carballo a Carvalho, a lectura continuada de Scórpio e o concurso Musicando Carvalho Calero 2020, adiados por causa da recente crise sanitária, mas dos quais teremos notícias em breve.

convenio-agal-asinado


PUBLICIDADE

  • Ernesto Vazquez Souza

    Os tempos mudam… tudo muda e se movimenta…

    Realmente a ideia que tinhamos há não tanto do reintegracionismo, do que era e não e do que podia ser… do que era o galego… e para que servia o português… mudou… os marcos voaram pelo ar… realmente está a mudar ao ritmo vertiginoso de uma realidade a cada vez mais líquida…

    enfim … a vontade…

    • https://pglingua.org/index.php abanhos

      O reintegracionismo pode conseguir muita cousa e por todo lado, porém o primeiro é acreditar em nós e sabermos vender os produtos.

      Por exemplo o primeiro contribuinte para o monumento a Carvalho Calero, foi a cluster do granito, os empresários… depois de um bom bocado de conversa, um empresário exprimiu-no com estas palavras: a vossa proposta de idioma é dinheiro.

      Em realidade a proposta “oficialista” é um jeito mais de sermos roubados os galegos e galegas. A política línguística e cultural que sofremos supõe uma perda que anda na casa do 5%. Isso sim, nunca hão de faltar galegos de todas as tendências ao serviço dessa política de empobrecimento e apagamernto que sofremos

      https://www.youtube.com/watch?v=qBH-z62l4FY&t=59s

      Parabéns a equipa que dirige a AGAL, que está fazendo grande trabalho…

      • Ernesto Vazquez Souza

        Pois… e bem é verdade que a AGAL arrastou-nos ao meio e meio do tabuleiro… é sim impressionante… mas eu não sei se o reintegracionismo está preparado.

        Começo a ver que vai ser complicado gerir o depois do confronto…

        Acho, pelo que estamos a ver na chuva de artigos e de opiniões arredor, que a imensa maioria do galeguismo e ativismo nacionalista formado no isolacionismo não conhece bem diversidade e as mais das linhas, propostas e debates mais interessantes produzidas pelo reintegracionismo no decurso dos últimos 40 anos e portanto debate contra sombras e contra o ar… querendo explicar, dar opinião sobre uma realidade fantasiosa, ou ultrapassada em muitos casos… faltam leituras, falta ter acompanhado os debates…

        O que por outra banda também acontece em boa parte do reintegracionismo… que por sua vez é um continuum de posturas, posições e discursos que vai do quase isolacionismo até um acordismo por cima do discurso institucional e linguístico alfandegario de portugueses e brasileiros vociferantes hoje…

        Acontece que chegou o dia do desconfinamento do reintegracionismo e que falta proposta comum, e debate e leituras, o que sempre advertiram o Antonio Gil, o Mário Herrero e o Celso…

        O reintegracionismo por outra banda não tem unanimidade nem programática nem discursiva que facilite hoje por hoje um diálogo e entendimento de básicos e que não complique mais a perceção…

        Acho que os únicos que têm claro são os empresários (e portanto o Partido no que mais pesam o PPG). Estão interessados em ter piões, trabalhadores, diretivos, competentes em Português, língua comercial…

        • https://pglingua.org/index.php abanhos

          Com certeza Ernesto