Um Primeiro aPorto Júnior para abrir o caminho



Entre os dias 5 e 9 de abril, decorreu o primeiro aPorto Júnior, organizado pola área de formação da Agal e que envolvia quatro centros educativos: IES de Ribadeu Dionísio Gamallo, IES de Foz, IES Nosa Sra. dos Ollos Grandes de Lugo e o IES Rosalia de Castro de Compostela.

Docentes

Docentes

O objetivo era levar o espírito dos aPorto que se organizam em período estival para turmas da Galiza que estão a estudar português nos seus centros de ensino secundário. É por isso que o foco foi a interação comunicativa com naturais do Porto, nomeadamente pessoas da sua idade. aporto-emapac

O primeiro dia decorreu na EPAMAC, Escola Profissional de Agricultura e Desenvolvimento Rural de Marco de Canaveses onde as turmas, de manhã, morderam o Pacote Aventura com escalada, rapel e paintball. De tarde, visita às instalações e áreas de trabalho da escola, permeadas de jogos de matraquilhos humanos, para acabar com uma oficina de Fabrico de Broa.aportoj-epamac-broa

O segundo dia decorreu em dous lugares. De manhã o espaço foi a Fundação Serralves, primeiro com a oficina “Arte do Parque” e depois com uma visita guiada à Exposição de Joan Miró – “Materialidade e Metamorfose”. De tarde, a ação decorreu na Escola Secundária Inês de Castro, em Vila Nova de Gaia, cujo acolhimento incluiu vídeos e breves intervenções artísticas do grupo de teatro e dança da escola; a seguir, todas as escolas desenvolveram-se uma sessão conjunta de experimentação com bio-dança. aportj-emapac-escalada

aportoj-matraquilh-humanoSábado de manhã foi dia de folga, vamos dizer assim, para realizar as atividades que melhor achassem e, de tarde, estiveram envolvidos num rally-paper em que tinham que executar alguns desafios em partes específicas da cidade, coincidentes com os principais monumentos, para acabar no novo Cinema 5D sobre o Porto e o Cruzeiro das Pontes para encerrar o passeio.

Domingo de manhã, antes de rumar para as suas povoações, as turmas visitaram a Citânia de Sanfins.

aportoj-serralves-dentro

Segundo os dados recolhidos, a experiência foi muito nutritiva, quer para docentes, quer para alunos e alunas e existe vontade de repetir, mais e melhor, em 2018. Oxalá esta iniciativa seja emulada por muitos dos centros onde se ensina português, ou mesmo onde não. É o nosso desejo.

aportojunior-foto-de-conjunto

Valentim Fagim

Valentim Fagim

Nasceu em Vigo (1971). Professor de Escola Oficial de Idiomas, licenciado em Filologia Galego-portuguesa pola Universidade de Santiago de Compostela e diplomado em História. Trabalhou e trabalha em diversos âmbitos para a divulgaçom do ideário reintegracionista, nomeadamente através de artigos em diversas publicações, livros como O Galego (im)possível, Do Ñ para o NH (2009) ou O galego é uma oportunidade (2012). Realizou trabalho associativo na AR Bonaval, Assembleia da Língua de Compostela, no local social A Esmorga e na AGAL, onde foi presidente (2009-12) e vice-presidente (2012-15). Co-diretor da Através Editora e coordenador da área de formação. Académico da AGLP.
Valentim Fagim


PUBLICIDADE