Todo o galeguismo começa a feirar

Várias famílias galeguistas juntárom-se em Padrom em prol das denominações tradicionais dos dias da semana



A vila de Padrom, e ainda mais concretamente a freguesia de Íria, acolheu hoje o evento de lançamento da campanha “Nós feiramos de segunda a sexta” promovida pol’A Mesa, a AGAL e a Fundación Via Galego.

feira069

Victorino Perez Prieto, Glória Mosquera, Eduardo Maragoto, Pilar Garcia Negro, Anxo Angueira, Mónica Pazos [foto: João Aveledo]

Nas traseiras da polveira A Feira, à volta de 40 pessoas juntárom-se para comer polvo, beber vinho e ouvir intervenções cheias de sabedoria. Por um lado, a do historiador e teólogo Victorino Perez Prieto, que nos transportou ao ambiente social dos século V e VI, quando foi instaurado este sistema de contagem dos dias da semana por Martinho de Dume.

feiramos25fev

Por outro lado, dous dos grandes especialistas em Rosalia de Castro com que conta o nosso país, Anxo Angueira e Pilar Garcia Negro, que nos figérom compreender a importância de Rosalia de Castro como modelo de recuperaçom do nosso léxico, pois também estas denominações estám presentes na sua obra. O evento concluiu com Mamá Cabra, que pujo a música, nomeadamente a linda cançom infantil da sua autoria “Na segunda-feira“.

feira061

Mama Cabra ao vivo [foto: João Aveledo]

Por sua vez, Eduardo Maragoto e a Mónica Pazos fôrom a voz das associações AGAL e A Mesa respetivamente. Mónica Pazos, secretária geral d’A Mesa explicou como se vai materializar a campanha a partir de agora, com calendários, crachás, toalhas de mesa infantis e um site que contará com material informativo, divulgativo e didático em diferentes formatos. Eduardo Maragoto falou de vários motivos para envolver-se nesta campanha a favor dos dias da semana tradicionais, mas dentre todos destacou o orgulho, nom só linguístico e cultural mas também político, já que o nosso território foi o único em que sobreviveu o sistema cristão para denominar os dias da semana e a razom está seguramente na existência, entre o século V e o VII, do reino suevo.

 

feira002

Eduardo Maragoto, Presidente da AGAL [foto: João Aveledo]

feira007

[foto: João Aveledo]

feira028

Victorino Perez Prieto [foto: João Aveledo]

feira045

Mª Pilar Garcia Negro [foto: João Aveledo]

feira055

Anxo Angueira, presidente da Fund. Rosalia de Castro [foto: João Aveledo]

feira019

Mónica Pazos, secretária geral d’A Mesa [foto: João Aveledo]


PUBLICIDADE

  • Alentejano

    Os Galegos têm língua própria para se expressar e comunicar, mais limpa que a Língua castelhana, chamada de espanhol, que ão existe, porque o Galego não é língua colonial ali.

  • Ernesto V. Souza

    Feirar e reintegrar tudo é começar… 😉

  • António Gil Hdez

    Vejo que anunciam A luz ressuscitada, do Manuel. Lembro que em academia.edu podem ler ou consultar os meus Solilóquios com Manuel Maria, onde edito e comento bastantes poemas do livro anunciado.

    • http://www.madeiradeuz.org madeiradeuz

      Um ótimo complemento os Solilóquios. Esta versão eletrónica de A luz ressuscitada foi fruto de uma colaboração entre a AGAL e a Fund. Manuel Maria, a qual amavelmente deu autorização para este projeto.