AS AULAS NO CINEMA

TERESA DE CALCUTÁ OU COMO LEVAR O EVANGELHO À PRÁTICA

Filme: Madre Teresa, e vários documentários



O Dia Internacional da Caridade celebra-se a 5 de setembro. Esta data assinala o aniversário da morte da Madre Teresa de Calcutá que dedicou toda a sua vida a ajudar os outros. A data foi instituída pela ONU em 2012 e comemorada pela primeira vez em 2013.

teresa-de-calcuta-nobel-da-paz

A comemoração foi criada para reconhecer o papel fulcral das instituições, dos governos e das pessoas de todo o mundo que praticam a caridade e aliviam o sofrimento humano. Dar é o verbo desta data: neste dia as pessoas são convidadas a dar algum do seu tempo, conhecimento ou dinheiro a quem precisa. A caridade é um dos atos mais louváveis do homem. Ela contribui para o diálogo e para o entendimento entre as pessoas, aproximando o coração destas. Quem dá faz um favor ao próximo, mas também a si próprio. Em Portugal realizam-se ações de solidariedade a favor dos carenciados em centros comerciais de várias cidades. Como a data se aproxima do início das aulas, as pessoas doam tradicionalmente material escolar ou fazem donativos monetários. Estas ações de voluntariado são organizadas por instituições como a Cáritas.

Para a série dedicada aos grandes vultos da humanidade (que com este depoimento faz o número 9), tendo em conta a comemoração, a pessoa mais indicada sem dúvida alguma é Teresa de Calcutá, conhecida como “Madre Teresa”, e considerada já como santa desde não há muito, sendo nomeada justa e merecidamente Prémio Nobel da Paz no ano 1979. Foi ademais ela a criadora precisamente da Ordem denominada “Missionárias da Caridade”, com o seu trajo branco e azul, como a bandeira da Galiza. Com um trabalho modelar a favor dos necessitados, pondo em prática de maneira sublime o evangelho de Jesus.

Agnes Gonxha Bojaxhiu, conhecida como Madre Teresa de Calcutá, nasceu na atual Escópia, capital da República da Macedônia, numa família católica da comunidade albanesa. Foi educada numa escola pública e, ainda jovem, tornou-se solista no coro da igreja. Determinada a seguir sua vocação religiosa, Agnes ingressou na Congregação Mariana. Em setembro de 1928, ingressou na Casa das Irmãs de Nossa Senhora do Loreto, em Dublin, na Irlanda. De lá partiu para a cidade de Darjeeling, na Índia, onde as irmãs de Loreto tinham um colégio, em 1931. Lá fez noviciado e finalmente fez os votos de obediência, pobreza e castidade, tomando o nome de Teresa. De Darjeeling, Teresa partiu para Calcutá, onde viveu como religiosa e foi professora de história e geografia no Colégio Santa Maria, um colégio católico para meninas ricas da cidade de Calcutá. O contraste com a pobreza à sua volta era muito grande. Em maio de 1937, Teresa fez a profissão perpétua. A revelação ocorreu em setembro de 1946, durante uma viagem de trem. Madre Teresa ouviu um chamado interior que a incitou a abandonar o convento de Loreto, em Calcutá, e passar a viver entre os pobres. Em 1948, autorizada pelo Papa Pio XII, Teresa foi viver só, fora do claustro, tendo Deus como único protetor e guia, no meio dos mais pobres de Calcutá. Em dezembro do mesmo ano, conseguiu a nacionalidade indiana.

Teresa passou a usar um traje indiano, um sari branco com debruns azuis e uma pequena cruz no ombro. Pedindo ajuda nas ruas, auxiliava pobres, doentes e famintos. Pouco a pouco, foi angariando adeptas para sua causa entre as antigas alunas. Em 1950, fundou uma congregação de religiosas. Madre Teresa fundou casas religiosas por toda a Índia e, depois, no exterior. Fundadoras dos Missionários e das Missionárias da Caridade, conseguiu visibilidade para o seu trabalho, tanto que recebeu uma casa, cedida pelo Papa João Paulo II, para recolher os pobres. A casa se chama “Dom de Maria”. “Ícone do Bom Samaritano, ela ia a toda parte para servir Cristo nos mais pobres entre os pobres”. Esse é um trecho da homilia do Papa João Paulo II durante o ritual de beatificação de Madre Teresa de Calcutá, em outubro de 2003. Em 2016, foi canonizada pelo Papa Francisco.

Em 1979, Madre Teresa recebeu o prêmio Nobel da Paz, pelos serviços prestados à humanidade. A proposta foi apoiada por unanimidade pela totalidade dos membros do Comité correspondente. Depois de dedicar toda uma vida aos pobres, Madre Teresa de Calcutá morreu aos 87 anos, de paragem cardíaca, em 5 de setembro de 1997.

FICHAS TÉCNICAS DO FILME E DOS DOCUMENTÁRIOS:

Título Original do Filme: Madre Teresa.

Diretor: Fabrizio Costa (Itália, 2003, 177 min., cor).teresa-de-calcuta-filme-madre-teresa-2003-capa-dvd

Roteiro: Massimo Cerofolini e Francesco Scardamaglia.

Produtoras: Blue Star Movies, Euroficción S.L., Lux Studios S.p.a. e MediaTrade.

Fotografia: Giovanni Galasso. Música: Guy Farley.

Nota: Pode ver-se completo entrando em:

https://gloria.tv/video/t6eQEuxraDXS6UrrZCaWtD6XR

Atores: Olivia Hussey, William Katt, Laura Morante, Sebastiano Somma, Michael Mendl, Enzo Decaro e Ingrid Rubio.

Argumento: Uma vida devotada aos pobres, aos doentes e aos esquecidos. Conhecida como “a santa dos pobres mais pobres”, Inês Gonxha Bojaxhiu nasceu em Skopja, capital da atual república da Macedônia. Aos 21 anos, mudando seu nome para Teresa, ingressou em um Convento de Calcutá. Onze anos mais tarde deixaria o mesmo e começaria a trabalhar nos bairros mais pobres da cidade, vindo a fundar em 1946, a Congregação das Missionárias da Caridade. Seu papel em favor dos mais necessitados rendeu a Madre Tereza o Prêmio Nobel da Paz e o reconhecimento de seu trabalho no mundo. Neste sensível e humano filme, o diretor Fabrizio Costa mostra a dedicação, a luita e a intolerância sofrida pela missionária, que será beatificada pelo Vaticano, por parte daqueles que não compreendiam seu trabalho.

DOCUMENTÁRIOS:

1. Madre Tereza (5 min.).

Nota: Ver em: https://www.youtube.com/watch?v=vV6t1n8gWak

2. As cartas de Madre Teresa (EUA, 2014, 114 min., legendado).

Nota: Ver em: http://filmesonlinegratisahd.com/as-cartas-de-madre-teresa-dublado-online/

Argumento: Um drama que explora a vida de Madre Teresa através de cartas que ela escreveu ao seu amigo e conselheiro espiritual, Padre Celeste van Exem, ao longo de um período de aproximadamente cinquenta anos.

3. História de Madre Tereza de Calcutá (6 min.).

Nota: Ver em: https://www.youtube.com/watch?v=vkfq_fvOlSE

Um filme um tanto polémico, em que aparece falando a própria Madre Teresa.

Comentário: Ninguém pode negar o grande labor caritativo que ela desenvolveu, e que hoje continuam a desenvolver as suas freiras. Porém, acho que a sua ação difundida em todo o mundo criou uma imagem muito errada do que é esse grande país chamado a Índia, que eu já conheço bem. Muitas pessoas, que nunca viajaram à Índia, identificam esta nação com a miséria e a pobreza, e este facto é muito equivocado. Em parte, tal imagem não certa foi criada no mundo pela divulgação do trabalho caritativo de Teresa de Calcutá. Do qual, logicamente, ela não tem culpa.

LINDAS PALAVRAS DE TERESA DE CALCUTÁ:

A seguir recolho uma escolma de textos, frases e palavras proferidas por Teresa de Calcutá, reveladoras do seu pensamento e dos seus profundos sentimentos evangélicos.

-“Enquanto estiver vivo, sinta-se vivo. Se sentir saudades do que fazia, volte a fazê-lo. Não viva de fotografias amareladas… Continue, quando todos esperam que desistas. Não deixe que enferruje o ferro que existe em você. Faça com que em vez de pena, tenham respeito por você. Quando não conseguir correr através dos anos, trote. Quando não conseguir trotar, caminhe. Quando não conseguir caminhar, use uma bengala. Mas nunca se detenha”.

-“Sorria um para o outro, sorria para a sua esposa, sorria para o seu marido, sorria para os seus filhos, sorria um para o outro – não importa quem seja – e isso ajudará a crescer um amor maior de um pelo outro”.

-“Não ame pela beleza, pois um dia ela acaba; não ame por admiração, pois um dia você se decepciona; não ame por dinheiro, porque um dia ele também acaba. Ame apenas… Pois o tempo nunca pode acabar com um amor sem explicação”.

-“O bem que você faz hoje, pode ser esquecido amanhã. Faça-o assim mesmo. Veja que, ao final das contas, é tudo entre você e Deus! Nunca foi entre você e os outros”.

-“A vida é uma oportunidade. Aproveite-a. A vida é uma beleza. Admire-a. A vida é um sonho. Faça que se torne realidade. A vida é um desafio. Enfrente-o. A vida é um dever. Cumpra-o. A vida é preciosa. Cuide dela. A vida é riqueza. Conserve-a. A vida é um mistério. Explore-o. A vida é promessa. Tenha esperança. A vida é tristeza. Supere. A vida é um hino. Cante-o. A vida é um combate. Vença. A vida é uma aventura. Conduza-a. A vida é felicidade. Mereça-a. A vida é vida. Defenda-a”.

-“Lembre-se: As mãos que ajudam são mais sagradas do que os lábios que rezam”.

-“Ontem foi embora. Amanhã ainda não veio. Temos somente hoje, comecemos! Qualquer ato de amor, por menor que seja, é um trabalho pela paz”.

-“A falta de amor é a maior de todas as pobrezas”.

-“Nós não podemos fazer nenhuma grande coisa – só coisas pequenas com grande amor”.

-“As palavras de amizade e conforto podem ser curtas e sucintas, mas o seu eco é infindável”.

-“Não devemos permitir que alguém saia de nossa presença sem se sentir melhor e mais feliz”.

-“O que eu faço, é uma gota no meio de um oceano. Mas sem ela, o oceano será menor”.

-“Qual é o lugar do homem? Onde os seus irmãos precisarem dele”.

-“É fácil amar os que estão longe. Mas nem sempre é fácil amar os que vivem ao nosso lado”.

-“Quem julga as pessoas não tem tempo para amá-las”.

-“O dia mais belo? Hoje. A coisa mais fácil? Equivoca-se. O obstáculo maior? O medo. O erro maior ainda? Abandonar-se. A raiz de todos os males? O egoísmo. A distração mais bela? O trabalho. A pior derrota? O desalento. Os melhores professores? As crianças. A primeira necessidade? Comunicar-se. O que mais faz feliz? Ser útil aos demais. O mistério maior? A morte. O pior defeito? O mau humor. A coisa mais perigosa? A mentira. O sentimento pior? O rancor. O presente mais belo? O perdão. O mais imprescindível? O lar. A estrada mais rápida? O caminho correto. A sensação mais grata? A paz interior. O resguardo mais eficaz? O sorriso. O melhor remédio? O otimismo. A maior satisfação? O dever cumprido. A força mais potente do mundo? A fé. As pessoas mais necessárias? Os pais. A coisa mais bela de todas? O amor”.

TEMAS PARA REFLETIR E REALIZAR:

Servindo-se da técnica do Cinema-fórum, analisar e debater sobre a forma e o fundo do filme antes resenhado, realizado por Fabrizio Costa. E também dos 3 documentários citados.

Organizamos nos nossos estabelecimentos de ensino uma amostra-exposição monográfica dedicada a Teresa de Calcutá, o seu labor caritativo, o seu pensamento, a sua vida e a sua obra. Na mesma, ademais de trabalhos variados dos escolares, incluiremos desenhos, fotos, murais, frases, textos, lendas, livros e monografias. Completaremos a mesma com uma secção dedicado à Índia, e em especial a Bengala e a sua capital Kolkata (nome oficial atual da antiga Calcutá).

Estudantes e docentes comprometemo-nos a ler o livro intitulado Madre Teresa: Amor maior não há, publicado em 2016 pela editora brasileira Universo dos Livros. Outro livro a ler podia ser o intitulado Venha, Seja Minha Luz: Os escritos privados da santa de Calcutá, também editado no Brasil em 2016. Depois de todos ter lido o livro organizamos um Livro-fórum sobre o mesmo.

José Paz Rodrigues

É Professor de EGB em excedência, licenciado em Pedagogia e graduado pela Universidade Complutense de Madrid. Conseguiu o Doutoramento na UNED com a Tese Tagore, pioneiro da nova educação. Foi professor na Faculdade de Educação de Ourense (Universidade de Vigo); professor-tutor de Pedagogia e Didática no Centro Associado da UNED de Ponte Vedra desde o curso 1973-74 até à atualidade; subdiretor e mais tarde diretor da Escola Normal de Ourense. Levou adiante um amplíssimo leque de atividades educativas e de renovação pedagógica. Tem publicado inúmeros artigos sobre temas educativos e Tagore nas revistas O Ensino, Nós, Cadernos do Povo, Vida Escolar, Comunidad Educativa, Padres y Maestros, BILE, Agália, Temas de O ensino, The Visva Bharati Quarterly, Jignasa (em bengali)... Artigos sobre tema cultural, nomeadamente sobre a Índia, no Portal Galego da Língua, A Nosa Terra, La Región, El Correo Gallego, A Peneira, Semanário Minho, Faro de Vigo, Teima, Tempos Novos, Bisbarra, Ourense... Unidades didáticas sobre Os magustos, Os Direitos Humanos, A Paz, O Entroido, As árvores, Os Maios, A Mulher, O Meio ambiente; Rodrigues Lapa, Celso Emílio Ferreiro, Carvalho Calero, São Bernardo e o Cister em Ourense, em condição de coordenador do Seminário Permanente de Desenho Curricular dos MRPs ASPGP e APJEGP.

Latest posts by José Paz Rodrigues (see all)


PUBLICIDADE

  • Denís Fernández Cabrera

    Desculpai… o que tem a ver essa senhora com a língua galega?!

    • Ernesto Vazquez Souza

      A seção “As Aulas no Cinema”, uma das mais antigas e continuadas no PGL semana a semana, é responsabilidade do nosso colaborador José Paz, nela trata assuntos diversos, efemérides, figuras históricas e personagens através de filmes em língua original ou em português, focando-as no ensino por meio das técnicas da apresentação e “cinema forum”.

      O PGL não publica apenas questões referidas à língua, mas também conteúdos, materiais e criação, em língua galega sempre dentro de um esquema reintegracionista.