Mulheres de Lugo organizam colóquio onde partilhar experiências ativistas



Mulher, feminista, galega e ativista. Que fazer com a violência quando recebida desde tantos eixos distintos? Com o objetivo de desenhar estratégias para fazer frente a estas situaçons, as mulheres da Semente de Lugo, da Plataforma Feminista da cidade e do centro social Mádia Leva organizam a palestra-colóquio ‘Que acontece com a mulher e a língua?’. A atividade –de caráter misto, pelo que podem assistir homens e mulheres– será na próxima sexta-feira 15 de fevereiro às 20 horas no CS Mádia Leva. A professora de português e ativista Antia Cortiças guiará o encontro.

antia-cortica

Desde a organizaçom destacam que querem “analisar, entender e reconhecer a violência que recebemos as mulheres por sermos feministas, galeguistas e ativistas da língua para buscarmos estratégias para combater essa violência”. A convocatória convida a criar um espaço comúm onde partilhar as próprias histórias. Ademais, também estende o convite às maes –ou pais– de crianças galego-falantes. Aquelas pessoas interessadas devem fazer a inscriçom obrigatória através de [email protected]


PUBLICIDADE