NOVAS DA GALIZA

Helena Miguélez explica no NGZ como a cultura galega por antonomásia é a herdada do pinheirismo por nom representar conflito nengum

A batalha entre competitividade e direitos laborais na Citroën é o tema central do nº 143 do mensal galego de informaçom crítica



Capa do n.º 143 do 'Novas da Galiza'

Capa do n.º 143 do ‘Novas da Galiza’

A filóloga galega Helena Miguélez-Carballeira acaba de lançar Galiza, um povo sentimental?, da mao da Através Editora. O Novas da Galiza 143 publica umha entrevista onde a autora analisa as temáticas centrais do seu livro: os estereótipos criados sobre os galegos ao redor da sentimentalidade, a feminizaçom do País e a sua cultura e como esse discurso penetrou até os dias de hoje. Aliás, a professora de Estudos Hispánicos da Bangor University (Gales) explica por que foi finalmente com a Através que publicou umha das obras mais esperadas do ensaio galego atual.

A reportagem central do novo número do NGZ trata o conflito existente entre competitividade empresarial e direitos salariais e laborais, através da problemática surgida em PSA Peugeot Citroën. A direçom da usina viguesa da multinacional impulsou um corte salarial nos momentos prévios à adjudicaçom dos novos modelos K9, um plano de ajuste para o qual contou com apoio mediático e institucional.

O Novas publica também umha alargada análise sobre a situaçom do galego no Berzo, justo depois de que a recente publicaçom do inquérito do IGE sobre o uso da língua na Galiza comunitária acendesse todos os alarmes. Após vários anos de reivindicaçom popular na comarca berciana, este curso começárom a suprimir-se aulas de galego-português apesar da demanda do alunado, um retrocesso que se quer justificar nos cortes orçamentais.

Nas páginas do novo número do NGZ também se pode consultar umha reportagem sobre o consumo de drogas centrado na perspetiva da reduçom de riscos, umha visom contraposta às habituais políticas estatais, que se baseiam na negaçom total, o medo e a repressom.

Capa de 'A Revista', n.º 74

Capa de ‘A Revista’, n.º 74

Na seçom de internacional, o brigadista andaluz Manu Pineda explica numha entrevista a sua experiência na Palestina “como observador internacional e de escudo humano”. O fundador de Unadikum, a associaçom continuadora da Segunda Frotilha da Liberdade a Gaza, fornece algumhas das chaves para compreender a profundidade do conflito que se vive na outra beira do Mediterráneo e dá conta das barbáries cometidas polo exército de Israel.

Se seguirmos passando as páginas do Novas, também podemos encontrar artigos como “A miragem cidadanista” (Economia), umha análise sobre as possíveis funçons ou infunçons da política no contexto do capitalismo de crise; e “Jimmy: um seareiro galego assassinado” (Desportos), umha crónica de urgência que coloca algumhas perguntas acima da mesa e coloca o foco nas reaçons políticas e mediáticas ante o homicídio.

Por último, e entre outros conteúdos, o NGZ 143 publica duas entrevistas com os impulsores de dous ambiciosos projetos mediáticos. Por umha parte, Aurélio Lopes, de ‘Irmandade TV’, fala sobre os planos para ampliar o canal e começar a emitir na TDT. Pola outra, Manuel Casal Lodeiro, da revista ‘15/15/15’, adianta alguns aspetos da que será a primeira publicaçom temática centrada no decrescimento.

Quem quiger receber o Novas da Galiza em casa, por apenas 2 euros ao mês, pode simplesmente enviar um e-mail com os seus dados ao endereço [email protected] ou preencher o formulário on-line.


PUBLICIDADE