AS AULAS NO CINEMA

FREUD, CRIADOR DA PSICOLOGIA PROFUNDA

Freud além da alma e Documentários vários



O dia 10 de outubro comemora-se o Dia Mundial da Saúde Mental. Por isto, entre os grandes vultos da humanidade relacionados com este tema e com a psicologia, escolhi Sigmund Freud, criador da psicologia profunda e psicanalista. Com ele completo o número 15 da série iniciada com Sócrates.

freud-foto-1Sigmund Freud (1856-1939) foi um médico neurologista e importante psicólogo austríaco. Foi considerado o pai da psicanálise, que influiu consideravelmente sobre a Psicologia Social contemporânea. Sigismund Schlomo Freud nasceu em Freiberg, na Morávia, então pertencente ao império austríaco, no dia 6 de maio de 1856. Filho de Jacob Freud, pequeno comerciante e de Amalie Nathanson, de origem judaica, foi o primogênito de sete irmãos. Aos quatro anos de idade, sua família muda-se para Viena, onde os judeus tinham melhor aceitação social e melhores perspectivas econômicas. Desde pequeno mostrou-se brilhante aluno. Aos 17 anos, ingressou na Universidade de Viena, no curso de Medicina. Durante os anos de faculdade, deixou-se fascinar pelas pesquisas realizadas no laboratório fisiológico dirigido pelo Dr. E. W. von Brucke. De 1876 a 1882, trabalhou com esse especialista e depois no Instituto de Anatomia sob a orientação de H. Maynert. Concluiu o curso em 1881 e resolveu tornar-se um clínico especializado em neurologia.

Durante vários anos trabalhou em uma clínica neurológica para crianças, onde se destacou por ter descoberto um tipo de paralisia cerebral que mais tarde passou a ser conhecida pelo seu nome. Em 1884 entrou em contato com o médico Josef Breuer que havia curado sintomas graves de histeria através do sono hipnótico, onde o paciente conseguia se recordar das circunstâncias que deram origem à sua moléstia. Chamado de “método catártico” constituíram o ponto de partida da psicanálise. Em 1885, Freud foi nomeado professor assistente de neurologia na Universidade de Viena. Nesse mesmo ano, foi para Paris a fim de fazer um curso com o neurologista francês J. M. Charcot, mas decepcionou-se por não receber o apoio esperado. De volta a Viena, continuou suas experiências com Breuer. Publicou Estudos sobre a Histeria (1895).

Em pouco tempo, Freud conseguiu dar um passo decisivo e original que abriu perspectivas para o desenvolvimento da psicanálise ao abandonar a hipnose, substituindo-a pelo método das livres associações, passando então a penetrar nas regiões mais obscuras do inconsciente, sendo o primeiro a descobrir o instrumento capaz de atingi-lo e explorá-lo em sua essência. Durante dez anos, Freud trabalhou sozinho no desenvolvimento da psicanálise. Em 1906, a ele juntou-se Adler, Jung, Jones e Stekel, que em 1908 se reuniram no primeiro Congresso Internacional de Psicanálise. Dois anos mais tarde, o grupo fundou a Associação Internacional Psicanalítica, com sucursais em vários países. Freud foi vítima de hostilidades, principalmente dos próprios cientistas, que, indignados com as novas ideias, tudo fizeram para desmoralizá-lo. O primeiro sinal de aceitação da Psicanálise no meio acadêmico surgiu em 1909, quando foi convidado a dar conferências nos EUA.

Em 1923, doente, passou pela primeira cirurgia para retirar um tumor no palato. Passou a ter dificuldades para falar, sentia dores e desconforto. Seus últimos anos de vida coincidiram com a expansão do nazismo na Europa. Em 1938, quando os nazistas tomaram Viena, Freud, de origem judia, teve seus bens confiscados e sua biblioteca queimada. Foi obrigado a se refugiar em Londres, após um pagamento de resgate, onde passou os últimos dias de sua vida. Sigismund Schlomo Freud morreu em Londres, Inglaterra, no dia 23 de setembro de 1939.

No seu momento tinha fundado a Sociedade Psicanalítica de Viena (1908), e realizou o primeiro congresso de psicanálise em Salzburg, onde se decidiu a publicação de um anuário dirigido por ele e Bleuler, cujo redator-chefe era Jung. Pronunciou um ciclo de conferências nos Estados Unidos (1909), a convite da Clark University, em Worcester, fato que representou a primeira aceitação oficial da psicanálise, participou por ocasião do segundo congresso internacional de psicanálise, realizado em Nuremberg (1910), da fundação da Associação Psicanalítica Internacional, que congregou os psicanalistas de todo o mundo.

Com o agravamento da pressão nazista e com à ajuda financeira de Marie Bonaparte, mudou-se para Londres, onde ficou até sua morte. Trabalhava a esse tempo, em colaboração com sua filha Anna, na redação de uma obra dedicada à análise da personalidade de Hitler. Outras de suas obras de destaque são A interpretação dos sonhos (1900), Sobre a psicopatologia da vida cotidiana (1904) Três ensaios sobre teoria sexual (1905), Totem e Tabu (1913), O mal estar na cultura (1930), e Moisés, o homem e a religião monoteísta (1939).

FILMOGRAFIA BÁSICA:

A. Filmes:

1. Freud além da alma (Freud, the Secret Passion).freud-filme-alem-da-alma-cartaz

Diretor: John Huston (EUA, 1962, 139 min., preto e branco).

Roteiro: Wolfgang Reinhardt e Charles A. Kaufman. Produtora: Universal Pictures.

Fotografia: Douglas Slocombe. Música: Jerry Goldsmith.

Atores: Montgomery Clift, Susannah York, Larry Parks, Susan Kohner, Eileen Herlie, Fernand Ledoux, Eric Portman e David McCallum.

Argumento: 1885. Enquanto a maioria de seus colegas se recusa a tratar a histeria acreditando tratar-se simulação, Sigmund Freud (Montgomery Clift) faz avanços usando a hipnose. Sua principal paciente é uma jovem que não bebe água e é atormentada diariamente pelo mesmo pesadelo.

2. Um método perigoso (A Dangerous Method). freud-filme-um-metodo-perigoso-cartaz

Diretor: David Cronenberg (Reino Unido, 2011, 93 min., cor).

Roteiro: David Cronenberg, segundo o romance de Christopher Hampton.

Fotografia: Peter Suschitzky. Música: Howard Shore.

Produtoras: Coprodução Reino Unido-Canadá-Alemanha-Suíça; Recorded Picture Company (RPC), Lago Film, Prospero Pictures e Millbrook Pictures.

Atores: Keira Knightley, Viggo Mortensen, Michael Fassbender, Vincent Cassel, Sarah Gadon, Katharina Palm, Christian Serritiello, Andrea Magro, Bjorn Geske, Franziska Arndt, Wladimir Matuchin e Clemens Giebel.

Argumento: O longa é uma mostra de como a relação entre Carl Jung (Michael Fassbender) e Sigmund Freud (Viggo Mortensen) faz nascer a psicanálise. Aborda a intensa e polêmica relação da dupla com a paciente Sabina Spielrein (Keira Knightley). O filme foi exibido em primeira mão no Festival de Veneza de 2011 e conquistou uma indicação ao Globo de Ouro de Melhor Ator Coadjuvante para Mortensen.

Comentário: Um filme sobre a relação entre Carl Jung e Sigmund Freud e o surgimento da psicanálise dirigido por David Cronenberg. Só essa premissa já é o suficiente para motivar o expectador e despertar uma grande expectativa, que felizmente é correspondida. Um Método Perigoso é um longa interessantíssimo, conta com atuações memoráveis e uma ambientação digna de prêmios. Direção de arte, figurinos, cenários, tudo foi pensado detalhadamente, dando à produção um caráter de registro histórico muito impressionante. Dentre os nomes do elenco, Keira Knightley é quem se sai pior. A atriz já demonstrou seu talento para o drama em obras como Orgulho e Preconceito e Desejo e Reparação, mas não consegue acompanhar a intensidade necessária para viver Sabina Spielrein, paciente que acaba se envolvendo com Jung. A relação entre os dois já havia sido abordada em Além da Alma.

B. Documentários:

1. Vida e obra de Sigmund Freud.

Produtora: The Biography Channel (EUA, 2009, 47 min., colorido).freud-vida-e-obra-capa-dvd

Argumento: Quando o doutor Sigmund Freud começou a perguntar aos pacientes sobre os sonhos deles, seus colegas de Viena tacharam-no de louco. No entanto, poucos sabiam que muitas de suas percepções mais perturbadoras e revolucionárias eram fruto de uma autoanálise, pois ele mesmo tinha várias neuroses. Persistindo nas indagações, seguiu os sonhos até suas raízes, o inconsciente. Ao fazê-lo, inventou a psiquiatria moderna. O documentário é a análise de uma mente no que se revelam detalhes da vida e da psique do pai da psicanálise. O mesmo traz ainda trechos do único relato em vídeo que Sigmund Freud gravou, aos 81 anos, falando sobre sua carreira.

2. A vida de Sigmund Freud (O criador da Psicanálise). Dublado com legendas (45 min.)

Nota: Pode ver-se entrando em: https://www.youtube.com/watch?v=UkDsk4a9QFs

3. Sigmund Freud: Grandes Biografias.

Produtora: Canal de História. Duração: 44 min., preto e branco e cor.

Nota: Ver em: https://www.youtube.com/watch?v=iiV5fItyYLE

Argumento: Freud, médico, neurologista e livre-pensador austríaco, foi o criador da psicanálise. Começou a sua carreira interessando-se pela hipnose e seu uso para tratar doentes mentais. Mais tarde, embora mantendo na terapia vários aspetos desta técnica, substituiu a hipnose pela associação livre e a análise dos sonhos, para desenvolver o que, atualmente, se conhece como a “cura da fala” . Tudo isto se converteu no ponto de partida da psicanálise.

Nota importante: Na presente ligação podem encontrar-se numerosos vídeos e documentários sobre Freud:

A PSICOLOGIA PROFUNDA DE FREUD À LUZ DO FILME DE HUSTON:

Tenho a bem reproduzir o depoimento do brasileiro Luiz Claudio Pereira, por considerá-lo muito acertado:

freud-filme-alem-da-alma-fotoO filme Freud além da alma, retrata os momentos difíceis que Freud viveu no início de sua carreira de médico. É mostrado as descobertas de Freud com as próprias experiências pessoais do psicanalista e a teoria que desenvolveu sobre o Complexo de Édipo. Sigmund Freud começa o filme internando uma pessoa com histeria, (doença emocional psíquica) sem a concordância dos outros médicos. A histeria é uma psiconeurose cujos conflitos emocionais inconscientes surgem na forma dissociação mental ou como sintomas físicos. Na verdade, os sintomas histéricos podem se manifestar em homens e mulheres. Charcot, neurologista francês, que emprega a hipnose para estudar a histeria, demonstrou que ideias mórbidas podiam produzir manifestações físicas. Freud, em colaboração com Breuer, começou a pesquisar os mecanismos psíquicos da histeria e postulou em sua teoria que essa neurose era causada por lembranças reprimidas, Freud ganhou uma bolsa para estudar com Charcot em Paris. Logo na primeira oportunidade Freud vê Charcot fazer um teste com dois histéricos, onde através da hipnose ele faz com que os histéricos eliminem seus problemas causados por traumas e depois faz eles terem outros problemas de histeria, apenas dando ordens enquanto os mesmos estavam hipnotizados. Assim chegamos a conclusão que a hipnose, tanto cura como cria sintomas.

Freud diz em palestra que a mente pode ser controlada pelo inconsciente e assim recebe o apoio do doutor Brauer que relata o caso de uma jovem que foi curada completamente através do transe hipnótico. Freud e Brauer conversam com a jovem hipnotizada, que conta relatos ao tempo que teve o trauma, em que seu cãozinho bebia água no copo. Depois de exteriorizar a sua irritação reprimida de nojo através de hipnose, pediu água, ela volta ao normal bebendo água, e podia ter um cão ao seu lado, o qual também tinha trauma por achá-lo temível. Nesta parte do filme foi retratado o Método Catártico, no qual o paciente é induzido a hipnose, onde havia algo reprimido através da repressão da ideia por ser um evento traumático que inicialmente estava a nível consciente e vai para o inconsciente afetando a vida da pessoa através de um sintoma. Brauer convida Freud para trabalhar ao seu lado e Freud começa a trabalhar com os histéricos.

Freud se assusta com um jovem que diz em hipnose que matara o pai porque amava a própria mãe. Neste caso Freud pede ao jovem para que não se lembre de nada que tinha relatado durante a hipnose por esse caso mexer com ele por ele próprio não saber lidar com isso por ter o mesmo trauma – “O Complexo de Édipo”. Começa a ter sonhos estranhos, aqui começa a pensar no significado dos sonhos para mais tarde criar a Teoria dos Sonhos. Devido a seu trauma, Freud diz que vai largar a terapia com hipnose, deixar de lado os Estudos da Histeria. Mayers, doente, pede para que Freud recomece com seu estudo da histeria, diz que viveu uma vida inteira com problemas psicológicos, devido à conversa com Mayers, Freud volta a ativa e tenta procurar o jovem que amava a mãe e descobre que ele morreu em um hospício.

Freud cria uma teoria sobre neurose, diz que esta teoria tem a ver com todos os casos já tratados e que não era só o dele, esta teoria se baseia que todos os traumas são ligados a sexualidade, Freud pede para que Brauer o leve a uma paciente que segundo Brauer não tinha nenhum problema causado pela sexualidade, Brauer vê que Freud tinha razão e passa a acreditar na Teoria da sexualidade como causa da histeria. A paciente que parecia estar curada volta a ter recaída, ela cria uma gravidez psicológica, Brauer chega dá a ordem com ela em transe e sai rápido, Freud não entende e Brauer diz que ela está apaixonada por ele e que não vai continuar o tratamento, pois isso poder acabar com seu casamento, a mulher de Brauer já estava desconfiada. Nesta parte do filme podemos ver como acontece a transferência, que na teoria psicanalítica é a projeção de sentimentos, conteúdos, em relação a alguma pessoa, no caso o terapeuta, onde o paciente cria fantasias, neste caso específico, a jovem transfere para Brauer a relação que tinha com o pai.

O pai de Freud falece, e Freud não consegue entrar no cemitério, desmaia e tem um sonho amedrontador. Decide voltar ao cemitério novamente não consegue entrar e volta conversando com Brauer, tenta achar a ligação, tenta desvendar o que foi encoberto de pecado que seu pai fizera. Freud começa a tratar a jovem que Brauer descartara. Assim ele mudou de técnica onde as palavras saiam quase que inconscientemente, era o método da Associação livre. Assim, as esperanças antes depositadas no método catártico da hipnose,

Freud tentava buscar saber em que ponto da história daquela jovem o trauma ocorreu, e cada vez mais ele via um trauma na infância, novamente tem o problema da repreensão sexual ter sido na infância. Freud segura uma pulseira da mãe em formato de cobra que o faz sonhar e volta a pensar em quando ele era criança e o que acontecerá para ele ter aquele colapso na frente do cemitério, se lembra dos sonhos e vê a figura da mãe, que o deixou sozinho em uma noite para ir dormir com seu pai, ele ficou frustrado e queria a mãe ali, do lado dele e não com seu pai, teve ciúmes da mãe e se sentiu culpado por achar que desonrou seu pai. A cobra simbolizava a sexualidade. Ela lê o diário que era dos tempos de seu estudo Freud lembra que havia escrito uma vez: “o falso é às vezes a verdade de cabeça para baixo”, ele começa a repensar tudo que havia visto antes, que a pessoa podia mentir ou criar uma situação falsa e no inverso disto estar a realidade, quando a jovem dizia que seu pai a molestou, na verdade ela queria possuir seu próprio pai, seria uma fantasia que ela levou com ela para fase adulta sem saber administrar e que se tornou um trauma, então Freud começa a mudar sua teoria, pois em sua investigação na prática clinica sobre as neuroses, descobriu que a grande maioria de pensamentos e desejos reprimidos referiam-se de conflito de ordem sexual, localizados nos primeiros anos de vida. As descobertas colocam a sexualidade no centro da vida psíquica e é desenvolvido o segundo conceito mais importante da teoria psicanalítica: a sexualidade infantil, que são: 1. A função sexual existe desde o princípio de vida, logo após o nascimento e não só a partir da puberdade como afirmavam as ideias dominantes. 2. O período da sexualidade é longo e complexo até chegar a sexualidade adulta, onde as funções de reprodução e de obtenção de prazer podem estar associadas, tanto no homem como na mulher. 3. A libido, nas palavras de Freud, é a “energia dos instintos sexuais e só deles”.

Freud conversa com a mãe da jovem e ele diz que teve vontade de matar a filha, mas só quando ela estava dentro do seu ventre, pois ela era dançarina de cabaré e o seu esposo depois que a engravidou nunca mais a tocou e só saia com as prostitutas. Nota-se que existe uma competição entre mãe e filha pela atenção e cuidados do pai. Conversando com Brauer, que acha muito difícil pôr na cabeça dos outros médicos a ideia de que a teoria seria invertida, do sexualismo adulto se tornar o sexualismo infantil, e Brauer pede para Freud retirar este capítulo do livro, Freud não se entrega e diz que vai seguir sozinho de agora em diante e que vai expor a teoria da sexualidade na infância ao conselho de médicos.

No conselho, Freud começa a expor, frisando como “A Idade da Inocência”, que a criança não tem consciência sexual. Neste momento todos os médicos começam a ironizar as suas palavras e alguns médicos se retiram do recinto. Freud continua a falar mesmo assim, diz que a criança tem um desejo, a mãe, e tem um concorrente, o pai, a criança passa a se ver de frente com um rival, o desejo da criança passa a ser corroído, se transformando em ódio e amor, cita Édipo, que matou o pai e casou-se com a mãe, foi punido (reprimido) e ficou vagando pela vida sem um lar. Sobre o Complexo de Édipo, Freud explica aos médicos que o amor de uma filha pelo pai é o máximo em erotismo infantil, que cada ser humano tem este desafio, de se confrontar com o seu complexo e de superá-lo, se conseguir superar se torna um ser humano completo. Nesta fala de Freud podemos perceber o conceito das fases do desenvolvimento sexual, que são as seguintes:

Fase Oral: a zona de erotização é a boca e o prazer ainda está ligado à ingestão de alimentos e à excitação dos lábios e da cavidade bucal. Objetivo sexual consiste na incorporação do objeto.

-Fase Anal: a zona de erotização é o ânus e o modo de relação do objeto é de “ativo” e “passivo”. Este controle é uma nova fonte de prazer. Acontece entre 2 e 5 anos o complexo de Édipo, e é em torno dele que ocorre a estruturação da personalidade do indivíduo.

-Fase Fálica: a zona de erotização é o órgão sexual. Apresenta um objeto sexual e alguma convergência dos impulsos sexuais sobre esse objeto. No caso do menino, a fase fálica se caracteriza por um interesse que ele tem pelo próprio pênis em contraposição à descoberta da ausência de pênis na menina. Na menina esta constatação determina o surgimento da “inveja do pênis” e o consequente ressentimento para com a mãe “porque esta não lhe deu um pênis, o que será compensado com o desejo de ter um filho”.

-Fase Genital: Na adolescência é atingida a última fase quando o objeto de erotização não está mais no próprio corpo, mas em um objeto – o outro. Neste momento meninos e meninas estão conscientes de suas identidades sexuais distintas e começam a buscar formas de satisfazer suas necessidades. Um médico que faz parte do conselho pergunta a Brauer, que também faz parte de tal, se ele concordava com Freud e Brauer após ter defendido o amigo, dizendo que ele é um dos melhores no meio médico para estes assuntos, diz que jamais poderia concordar com tal teoria de Freud, a “Sexualidade Infantil” não existe.

Freud caminha lentamente e consegue ultrapassar os muros do cemitério, onde caminha até a lápide de seu pai. O filme termina deixando uma pergunta que foi escrita no templo de Delfos, há mais de dois mil anos atrás, lá estava escrito: “Conheça a Si Próprio”.

FRASES DE FREUD:

Freud também é conhecido por ser autor de profundas reflexões sobre a condição humana. Selecionamos aqui 10 frases que com certeza nos farão refletir sobre como lidar com a vida!

Dez Frases de Freud para refletir sobre si mesmo:

-“A inteligência é o único meio que possuímos para dominar os nossos instintos”.

-“Somos feitos de carne, mas temos de viver como se fôssemos de ferro”.

-“A felicidade é um problema individual. Aqui, nenhum conselho é válido. Cada um deve procurar, por si, tornar-se feliz”.

-“Em última análise, precisamos amar para não adoecer”.

-“Um dia, quando olhares para trás, verás que os dias mais belos foram aqueles em que lutaste”.

-“O caráter de um homem é formado pelas pessoas que escolheu para conviver”.

-“Olhe para dentro, para as suas profundezas, aprenda primeiro a se conhecer”.

-“O homem é dono do que cala e escravo do que fala”.

-“Ser inteiramente honesto consigo mesmo é um bom exercício”.

-“Antes de diagnosticar a si mesmo com depressão ou baixa autoestima, primeiro tenha certeza de que você não está, de fato, cercado por idiotas”.

TEMAS PARA REFLETIR E REALIZAR:

Servindo-se da técnica do Cinema-fórum, analisar e debater sobre a forma e o fundo dos filmes e documentários resenhados antes.

Organizamos nos nossos estabelecimentos de ensino uma amostra-exposição monográfica dedicada a Sigmund Freud, o seu pensamento, as suas teorias, a sua vida e a sua obra, acrescentando-a com o tema da psicanálise. Na mesma, ademais de trabalhos variados dos escolares, incluiremos desenhos, fotos, murais, frases, textos, lendas, livros e monografias.

Depois de escolher entre todos um livro para ler da autoria de Freud, ou da sua filha Anna Freud (o seu livro O ego e os mecanismos de defesa é muito interessante), estudantes e docentes organizamos um Livro-fórum sobre o mesmo, tirando as oportunas conclusões.

 

José Paz Rodrigues

É Professor de EGB em excedência, licenciado em Pedagogia e graduado pela Universidade Complutense de Madrid. Conseguiu o Doutoramento na UNED com a Tese Tagore, pioneiro da nova educação. Foi professor na Faculdade de Educação de Ourense (Universidade de Vigo); professor-tutor de Pedagogia e Didática no Centro Associado da UNED de Ponte Vedra desde o curso 1973-74 até à atualidade; subdiretor e mais tarde diretor da Escola Normal de Ourense. Levou adiante um amplíssimo leque de atividades educativas e de renovação pedagógica. Tem publicado inúmeros artigos sobre temas educativos e Tagore nas revistas O Ensino, Nós, Cadernos do Povo, Vida Escolar, Comunidad Educativa, Padres y Maestros, BILE, Agália, Temas de O ensino, The Visva Bharati Quarterly, Jignasa (em bengali)... Artigos sobre tema cultural, nomeadamente sobre a Índia, no Portal Galego da Língua, A Nosa Terra, La Región, El Correo Gallego, A Peneira, Semanário Minho, Faro de Vigo, Teima, Tempos Novos, Bisbarra, Ourense... Unidades didáticas sobre Os magustos, Os Direitos Humanos, A Paz, O Entroido, As árvores, Os Maios, A Mulher, O Meio ambiente; Rodrigues Lapa, Celso Emílio Ferreiro, Carvalho Calero, São Bernardo e o Cister em Ourense, em condição de coordenador do Seminário Permanente de Desenho Curricular dos MRPs ASPGP e APJEGP.

Latest posts by José Paz Rodrigues (see all)


PUBLICIDADE