Constituída em Braga Rede da GaliLusofonia



No Sábado, 24 de Novembro, celebrou-se, na Biblioteca Lúcio Craveiro da Silva de Braga, a reunião de constituição da Rede da GaliLusofonia.

galilusofonia

O presidente da Câmara Municipal de Braga, Ricardo Rio, inaugurou esta reunião, quem viu “com bons olhos este estreitar de laços entre as populações dos dois lados da fronteira, reforçando a identidade comum e as tradições da região, de forma a potenciar o talento que a mesma contém”. Também encorajou os assistentes a participarem ativamente na programação de Braga Capital Cultural do Eixo Atlântico 2020 e anunciou a geminação, aprovada no dia anterior, com Santiago de Compostela.

Continuou a reunião com uma ronda de apresentações onde se introduziu um breve debate sobre a língua portuguesa e as diferentes expressões que serviu para clarificar que, ainda que alguns a escrevam de forma diferente, é a mesma e isso é o que nos une.

Houve, também, uma visita guiada, com a Diretora da Biblioteca, que nos explicou as características documentais e as diversas funções sociais e educativas que desenvolve. Destacou um nutrido apartado de livros galegos fruto de doações oficiais, e que não está inserido na seção de livros estrangeiros.

O almoço, oferecido pela Câmara de Braga, no restaurante taberna Migaitas, foi muito cultural no gastronómico e nas parcerias que ali começaram a construir-se.

Na parte da tarde discutiram-se os aspectos puramente organizativos, nomeando uma gestora para esclarecer algumas questões legais sobre a melhor forma jurídica e também para fazer a redação dos estatutos, e a possibilidade de constituir a rede como Associação Internacional más ficou a dúvida do reconhecimento jurídico pleno nos dois estados. A gestora vai falar com um par de deputados europeus para esclarecer algumas dúvidas.

Criaram-se já algumas comissões (Difusão e Parcerias; Subsídios; Comunicação; Publicações) para ir avançando na elaboração dum plano de ação e atividades a curto, médio e longo prazo.

O Concelho de Cedeira propus celebrar lá uma reunião  com motivo do Festival ‘Traz outro amigo também’, no segundo fim de semana de junho de 2019, mas antes deve celebrar-se a Assembleia para constituir formalmente a Rede.

A Rede vai estar presente no Festival Culturgal numa banca compartilhada com algumas destas organizações.

A AGAL esteve representada no encontro de Ponte Vedra polo seu vice-presidente, Carlos Quiroga, e em Braga polo secretário, Eliseu Mera.

A Rede da Galilusofonia, tem como objetivo Juntar esforços, coordenar-se e cooperar na difusão de iniciativas encaminhadas a fomentar a nossa língua e cultura comuns no seu espaço natural, a Lusofonia, com grande potencial noutros campos como o económico e o institucional.

O projeto nasceu em Ponte Vedra, em Outubro passado, e é impulsionado por diferentes entidades galegas e portuguesas que partilham o objetivo comum de difundir a música e as artes e aproximar a língua e a cultura galegas da Lusofonia.

A Rede pretende concretizar os objetivos gerais em ações como estabelecimento de parcerias, o trabalho no reconhecimento e autenticação da língua e cultura comuns de forma multidirecional em todos os territórios, a inclusão de conteúdos curriculares em todos os sistemas educativos dos países de língua comum que evidenciem a história, língua e cultura comuns ou a recuperação, difusão e promoção do património cultural comum.

Nesta iniciativa estão presentes entidades galegas como a Associaçom Galega da Língua (AGAL), Escola Oficial de Idiomas de Santiago, Academia Galega da Língua Portuguesa, A Mesa pola normalización lingüística, Concelho de Ponte Areias, Concelho de Cedeira, Ponte nas Ondas ou Cantos na Maré. Na parte portuguesa participam TIN.BRA-Academia de Teatro (Braga), Associação José Afonso Portugal, Freguesia de Nogeiró, Castro Galaico Festival de Nogueiró, Livraria Traga Mundos ou Cantos d’Aqui.

Artigos relacionados:


PUBLICIDADE

  • abanhos

    Ótima proposta