Opiniom

  • O mundo é um moinho. 10 palavras rurais galegas emigradas às metrópoles brasileiras

    Foi Cartola, operário carioca e um dos maiores sambistas da história, quem comparou o mundo com um moinho: “Vai triturar teus sonhos, tão mesquinho, vai reduzir as ilusões a pó” advertia com toda a dureza e sinceridade de quem cresceu e morreu pobre. O moinho, devido à sua importáncia na sociedade agrária, ocupou até há […]

  • A proposta de confluência ortográfica da AGAL, umha leitura dissidente

    Esperava com muito interesse o anunciado prontuário ortográfico da AGAL que lim ao direito com toda atençom. O opúsculo sintetiza em forma clara e concisa a “normativa de confluência” aprovado em assembleia da Associaçom de 3 de dezembro de 2006. O propósito perseguido era fixar um padrom ortográfico de carácter normativo com pretensom de estabilidade […]

  • Como medir o uso do infinitivo flexionado?

    Dentro das línguas românicas, o infinitivo flexionado ou pessoal é exclusivo do galego-português e talvez também do sardo-logudorês, falado na ilha de Sardenha. De facto, estes são os únicos casos de infinitivos com flexão em número e pessoa dentro da grande família indo-europeia. Fora desta família linguística, só o húngaro, da família urálica, possui flexão […]

  • Origem do Termo Hespanha. Historicidade do termo (II)

    Como foi o facto do Reino de Castela se apropriar do nome (H)espanha. Quais as causas favorecedoras disso?   Introdução Se se dizer que Portugal apresentou protesto diplomático em 1833, quando o estado peninsular que não é Portugal se definiu como Espanha, por se atribuir Castela (e suas dependências), um nome que pertencia a todos […]

  • A Nova Vanguarda de novo é Cientifico – Filosófica e… Espiritual

        “Os estados desarmónicos, tais como as guerras, a fome, a miséria, os conflitos sociais, as injustiças, as doenças, as pragas e inúmeros outros aspetos negativos da existência, sejam eles de ordem pessoal ou de natureza coletiva, não são e não poderiam ser frutos da Criação Divina. Todos os aspetos negativos que observamos em […]

  • Abril

    A palavra “abril” tem uma etimologia obscura. A interpretação popular relaciona-a com o abrir, metáfora do agromar da vegetação no hemisfério norte nesta altura do ano. Alguns filólogos relacionam-na com a palavra grega aphós, espuma, também presente no nome da deusa Afrodita, que, segundo esta etimologia, seria a “nascida da espuma”, semelhante à Morgana céltica, […]

  • Nós, os inofensivos

    Breve texto lido na apresentação d’A Razão do Perverso. Para quem tiver qualquer interesse. Crunha, 21 de abril de 2017   Enquanto esperamos a que chegue o dia, não nos apercebemos de que todos os dias são o dia. E é nessa espera que perdemos tudo. Absolutamente tudo. Se há uma verdade no mundo é […]

  • Origem do nome Hespanha, historicidade do termo (I)

    Se se dizer, ao pessoal, que Portugal apresentou protesto diplomático em 1830, quando o estado peninsular que não é Portugal se definiu como Espanha, por se atribuir Castela (e suas dependências), um nome que pertencia a todos os peninsulares; a gente vai ficar surpresa. Se um informar que o Supremo Tribunal de Justiça de esse […]

  • De novo ventos de guerra

    Como já afirmamos em anteriores artigos, Trump cedera ao poder de Wall Street, desiludido aqueles que sonham “enfrentar aos vigaristas”. Por sua parte chegou agora a vez de ceder ao complexo militar industrial (e ao poder neocom na sombra), acabando por afundar, no nível global, os sonhos daqueles que achavam a paz com a Rússia […]

  • Castelhano e galego, mesma lógica?

            O espanhol ou castelhano, umha das línguas mais faladas do planeta, é língua oficial em vários países.   Umha língua oficial em vários países nom pode ser uniforme, como nom o som outras línguas planetárias como o francês ou o inglês.   Quer dizer, ao igual que acontece com outros idiomas […]