Opiniom

  • O galego que venceu

    “ Nem o Sol nem a Lua podem refletir-se claramente na água lamacenta. Assim a alma universal não pode realizar-se perfeitamente em nós, enquanto não afastarmos o véu da ilusão, isto é, enquanto perdura o sentimento do eu e do meu. ” – Ramakrishna A procura dum marco de dialogo permanente entre os diversos setores […]

  • A síndrome da Transição

    Resposta à professora da UDC María Pilar García Negro, que me interpelou. A interpelação direta em artigos de opinião, ainda que pode servir para louvar as qualidades de alguém, é um recurso normalmente empregado para criticar, contestar e mesmo acusar dalguma cousa a pessoa nomeada. Eu tenho a estranha honra de ter conseguido a interpelação […]

  • Sobre Galizas irredentas e redimidas

      Alguém definiu como Galiza irredenta aquela parte do País que hoje faz parte de outra administração regional (espanhola) diferente da galega e ainda conserva a memória e a prática de falar a língua dos galegos. Portanto, se a essa definição nos cingirmos, teríamos de identificar como tais as regiões do Eu-Návia nas Astúrias, o […]

  • Carvalho Calero, três finais hipotéticos e umha certeza

      Carvalho Calero leva vários anos sendo “candidato-isca” na RAG para lhe serem dedicado o Dia das Letras Galegas; naturalmente aconteceu o que tinha que acontecer…ou o que estava calculado que acontecesse. Que de novo a decisom da RAG nom favoreceu a candidatura de Carvalho Calero e sim a umha das outras várias candidaturas, nesta […]

  • Académica e Academia de Segunda Origem

    Fiquei contente pela recente nomeação de uma mulher, María Victoria Moreno, para o Dia das Letras Galegas 2018. É apenas a quarta ao longo destes 55 anos de celebração deste dia que começou muito bem, inaugurado com Rosalia, embora cedo brilhassem pela sua ausência novas pessoas de sexo feminino. A Real Academia Galega fez o […]

  • Portuguesismo e autocolonização

      Resposta ao artigo de A. López Carreira En defensa de Galicia publicado no jornal Sermos Galiza em 23 de junho de 2017.   “A verdade é sempre revolucionária” é uma ideia tomada por Gramsci do nobel de literatura em 1915, o francês Romain Rolland, retomada depois por múltiplas autoras. Se os galegos fôssemos franceses, […]

  • Desta vez sim foi adeus, meu caro John

    Uma das cousas que mais bota em falta um emigrante é o contato, a proximidade e trato com gentes galegas. A saudade e o remorso de não estar são intensas e não soluciona muito a frenética agenda alcoólico-gastronómica de poucos dias nas férias. O que importa é o dia a dia, a confiança, o poder […]

  • Matar os caubóis com Alexandra Lucas Coelho

    Alexandra Lucas Coelho assina um título provocador, O meu amante de domingo (Tinta da China, 2014), onde assistimos ao que fica após a catástrofe num caso amoroso, mais ou menos turvo, desses que marcam quem os experimentar, com uma perspetiva atual, um ritmo vibrante e um humor desatado. Porém, o assunto, como sempre na literatura, […]

  • O CARRO: O todo e as partes…

    O Carro é um universo complexo, cravado na memória dos tempos e da alma; praticamente insondável. Seria difícil, por não dizer impossível, conceber a realidade da Galiza se apagarmos a figura do carro. É provavelmente o elemento mais representativo da nossa cultura tradicional; da nossa cultura. Portanto antes de despedaçá-lo e falar das suas partes, […]

  • EUCALITOS: NOM, OBRIGADA

    A dor case nem deixa reagir. 62 pessoas falecidas no horror das chamas. Nem o inferno se existir pode ser mais terrível. Ninguém quer isso! É evidente. Mas temo-nos que perguntar porque aconteceu. Monocultura de eucalitos e pinheiro. Aldeias abandonadas, a fugida do mundo rural para as cidades. A falta de cuidados das matas dos […]