Opiniom

  • Formatar

    Sou um viguês nascido na década de 70. Fui programado para falar em castelhano, como todos os rapazes da minha geração na minha cidade, em tantas cidades, em tantos lugares. O grau de sucesso do programa foi muito elevado, alcançando a quase unanimidade. Portanto, sou um minúsculo erro de sistema. O erro de sistema que […]

  • Escrever cara riba: luar intenso alumiando o caminho

    Resenha de ‘Diarios’ de Carlos Calvo Varela, através editora 2015.

  • O Estado em Hegel

    Quero expor a conceção da monarquia em Hegel e Marx, mas previamente considero que é preciso que explique a sua conceção do Estado no primeiro deles, e, para isso, começarei por apresentar a noção de Estado que entendo que é a mais aceitada. Alguns autores põem o acento no Estado como associação, começando pelo mesmo […]

  • Nós, em flagrante delito

    Umha dessas cousas boas deste país: na explanada dum café leio de graça o jornal mais lido na Galiza, um jornal que nem sempre lhe dá voz. Dispunha de tempo e mergulhei nas páginas do seu suplemento de lezer e cultura. Na capa, a mítica fotografia ilustrativa do Fernando Pessoa “em flagrante delito”, ou seja, […]

  • grand finale

    Podemos asseverar, sem muito risco a equívoco (que a experiência nos avisa e os dados confirmam) que a Democracia espanhola percorreu desde fins dos anos 70, o caminho que leva da diversidade ou pluripartidismo que conforma, em condições naturais, o seu Parlamento, até este bipartismo estável que Manuel Fraga sonhava a imitação de ingleses e que realmente […]

  • Mnemosine

    às refugiadas de hoje e de ontem, de uma refugiada como elas   Mnemosine, mãe das nove musas, era a titânide da memória. Mnemosine vem do grego mnếmē, memória e mnashtai, lembrar-se. Lembremos Lesbos, Mória e Idomeni. Mnemosine foi depois chamada Moneta, a avisadora, a que recorda. Moneta, do latim monere, significa aconselhar, avisar, lembrar. […]

  • Esclarecendo o golpe de estado que se vive no Brasil

    Alexandre Banhos explica a atualidade política brasileira, situando o processo mediático judicial contra o PT como indício de um Golpe de Estado encoberto.

  • Português do Brasil ao vivo no Canecão

    Sufixo “-ão” uma rica fonte de inovações lexicais, muitas privativas do português americano.

  • Verbos frasais galegos

    Sempre me perguntei se não haveria verbos frasais também em galego. A questão é que cada vez que tenho indagado nesta questão a resposta que recebim foi que o que há em galego são “verbos preposicionais”.

  • Poesia para um imaginário pós-capitalista

    Há já uma pequena literatura futurista espanhola sobre o peak oil… Porém, nos poemas do Meixide há uma volta à certeza da Terra, o regresso triunfal do mundo –duro mas honesto- das avôs, a salvação do que John Berger considera “a maior catástrofe cultural do século XX”: a perda da cultura camponesa.