Opiniom

  • A Galiza como parte da cidadania lusófona?

    V Congresso da Cidadania Lusófona1 Fundação Meendinho (Da Galiza 2) Lisboa3 Novembro de 2017   Falar da Galiza como parte da Lusofonia, era algo, como pouco, muito esquisito até bem recentemente, em que organizações como a que presido -Fundação Meendinho, ou a Academia Galega da Língua Portuguesa, e outras, tem trazido à tona esse término, […]

  • Proibição da leitura e traduções vernáculas da Bíblia (V)

    1A proibição da leitura e tradução da Bíblia a partir de Leão XIII Em 1906 cria-se a Pontifícia Comissão Bíblica com o ânimo de impor uma interpretação única e romana da Bíblia a todos os teólogos católicos, dando um passo mais na deriva cara a homogeneidade e uniformidade. O papa Leão XIII (1878-1903), na sua […]

  • Fala-se espanhol em Cuba?

    A pergunta é retórica, claro. Ninguém pom isso em dúvida, apesar das significativas diferenças entre o padrom da maior das ilhas antilhanas e o da ex-metrópole europeia. Por pura deformaçom profissional, na minha segunda viagem a Cuba dediquei-me durante três semanas de dezembro –entre outras cousas– a elencar particularidades do castelhano-cubano. Só como curiosidade e […]

  • O grande altar de Pérgamo: o alçar do Fénix

    O grande Altar dedicado pelo Rei Eumenes II à honra dos deuses olímpicos Zeus e Atena Niképhoros é uma verdadeira joia da arte helenística. Construído na segunda metade do século II a.C, está representado no friso exterior a Gigantomaquia, e no friso interior, a vida do Rei Télefo. Trata-se duma arquitetura de estilo jônico, que […]

  • De cães, “perros” e “perreras”

    Em Lugo, tenho notado que as pessoas ao falar diferenciam o “cão” da aldeia do urbano “perrito”. Quer dizer, o falante de galego lucense reconhece dois conceitos diferentes: o cão que guarda a casa na aldeia, ou que ajuda na caça, por um lado, e o animal de estimação na cidade, por outro, destinado só […]

  • best-sellers

    Não será também este ano, pois já vai quase inteiro andado, que aconteça esse Apocalipse do papel, anunciado há décadas pelos profetas do digital, nem virá tão pronto esse mundo futuro imediato, há quanto pregoado, do livro terminator eletrónico. Mas alguma cousa, alguma, calhou aí. Talvez fosse apenas o milenarismo (na sua versão 2.0, da […]

  • Passos para a Socialização Escolar do Galego Internacional

    Na ideia de abrir mais caminhos e seguir para a frente com a socialização de um galego sem limites no terreno educativo fazemos este pedido inicial: toda a gente que quixer colaborar disponibilizando material em galego internacional pode fazê-lo contatando com a AGAL. O multilinguismo está na moda, cousa boa, ou não? [email protected] [email protected], [email protected], […]

  • Serve-serve de língua brasileira

    No Brasil o povo gosta de jantar em restaurantes onde cada pessoa pega no seu prato e se serve à vontade para depois o pesar numha balança que fixa o preço da refeiçom. Este tipo de estabelecimento tam enxebre costuma ser, paradoxalmente, denominado com a voz inglesa self-service embora o substantivo serve-serve substituísse por algum […]

  • A Europa que não pode ser

     “Plus ça change, plus c’est la Mme chose – mais se muda, mais é a mesma coisa” (ditado popular francês) Quando as circunstâncias nos sobrepassam enfraquecemos, quando nos adequamos bem às circunstâncias fortalecemos. Tanto no nível coletivo como individual, experimentamos esta evolução, segundo os condicionantes do momento. Nos tornamos positivos com respeito a situações que […]

  • Proibição da leitura e traduções vernáculas da Bíblia (IV)

      A repressão da leitura da Bíblia durante a época do iluminismo No século XVII surge na Inglaterra um movimento intelectual progressista que teve o seu máximo apogeu na França do século XIX, que se vai converter no epicentro a partir do qual se vai irradiar por toda Europa. É um movimento que tem confiança […]