Todos os artigos de Ramom Varela Punhal

Nascido em Carvalho em 1942. Estudoi Teologia na Universidade Pontifícia de Salamanca, e Liturgia no Instituto Superior de Pastoral, em Madrid; Filosofia na Universidade de Pamplona e Filosofia, Psicologia e Organização do Trabalho na Universidade de Lovaina, Bélgica. Doutor em Filosofia pela Universidade de Santiago. Catedrático de Filosofia reformado.
  • Mulheres, sexo e matrimônio no Alcorão

    O Alcorão, inspirado na Bíblia judeu-cristã, amostra também uma doutrina que é profundamente assimétrica no tocante as relações homem mulher. Em muitos versículos de diversos capítulos expõe o Alcorão a normativa referente às mulheres, dos que citaremos os que consideramos mais representativos. Sublinha-se a inferioridade da mulher a respeito do home e esta é a […]

  • Mulher, sexo e matrimônio nos escritos apostólicos (II)

    Inferioridade e submissão da mulher   Uma das ideias mais recorrentes do Novo Testamento é a do submissão da mulher ao homem, a qual, depois de enorme insistência e repressão, terminou por ser interiorizada tanto polos varões, convertidos em repressores, como pola mulher, que viu anulada a sua personalidade. São Paulo quer que as mulheres […]

  • Mulher, sexo e matrimônio nos escritos apostólicos (I)

      O sexo e matrimônio O apóstolo Paulo, cidadão romano, nasceu no seio duma família religiosa ligada ao farisaísmo e tinha por ofício fabricante de tendas. De personalidade rígida, desequilibrada e intransigente e de tendência misógina, a sua doutrina vai converter-se no eixo da ideologia do cristianismo triunfante, que assumiria várias das suas teses, entre […]

  • Mulher, sexo e matrimônio em Jesus de Nazaré (II)

    Eunucos polo reino dos céus Jesus de Nazaré admitiu a castração, inclusive quando se pratica voluntariamente, se se faz por amor do reino de Deus. Quando os fariseus lhe perguntam se é lícito repudiar a mulher por qualquer causa, Jesus opõe-se em base ao que diz o Gênesis, 2, 24, de que o matrimônio é […]

  • Mulher, sexo e matrimônio em Jesus de Nazaré (I)

      O mundo em que viveu Jesus O cristianismo recebeu diversas influências, além da mais relevante que é o judaísmo e a sua expressão literária que é a Bíblia veterotestamentária, que o seu fundador conhecia muito bem e aceitava. Por isso dizia: “Não penseis que vim destruir a lei ou os profetas; não vim destruir, […]

  • Mulher, sexo e matrimônio no Antigo Testamento (II)

    A inferioridade da mulher O povo hebreu praticava a poligamia, sendo o exemplo mais eloquente o de Salomão que teve 700 mulheres e 300 concubinas (I Re. 11, 3), entre as quais eram frequentes as rixas. A Bíblia considera a mulher como um ser inferior sob a total dependência do home (Ex.. 20, 17), e […]

  • Mulher, sexo e matrimônio no Antigo Testamento (I)

    A menstruação, parto e sexo como pecados No Antigo Testamento, a sexualidade tem como finalidade a procriação, considerada como uma benção divina, enquanto que a esterilidade era considerada como um estigma para a mulher estéril. Para facilitar que todo matrimônio tiver descendência, promulgou-se a lei do levirato, que estipulava que, se um marido morre sem […]

  • Couraça do cristianismo frente à crítica

      A verdade far-vos-á livres1   Pretendemos demonstrar neste apartado que as diversas confissões religiosas, especialmente as do livro – judaísmo, cristianismo, islamismo-, são hipercríticas e beligerantes com as demais fações da mesma confissão, com as demais religiões e com os valores da sociedade contemporânea que não coincidem com os seus, e mui pouco receptivas […]

  • Proibição da leitura e traduções vernáculas da Bíblia (V)

    1A proibição da leitura e tradução da Bíblia a partir de Leão XIII Em 1906 cria-se a Pontifícia Comissão Bíblica com o ânimo de impor uma interpretação única e romana da Bíblia a todos os teólogos católicos, dando um passo mais na deriva cara a homogeneidade e uniformidade. O papa Leão XIII (1878-1903), na sua […]

  • Proibição da leitura e traduções vernáculas da Bíblia (IV)

      A repressão da leitura da Bíblia durante a época do iluminismo No século XVII surge na Inglaterra um movimento intelectual progressista que teve o seu máximo apogeu na França do século XIX, que se vai converter no epicentro a partir do qual se vai irradiar por toda Europa. É um movimento que tem confiança […]