Todos os artigos de Luís Mazás Lopez

Escrevo na grafia histórica do galego desde o ano 1992. Não se pode entender o galego sem o português e a inversa. É uma opção linguística que nos leva a ter uma projeção dentro da lusofonia. Escrevo para as pessoas da minha comunidade existencial, para os distantes, para os que vamos, em palavras de Thomas Bernhard, na direção contrária.
  • Carta a Xosé Mexuto

    Reproduzimos no PGL, pelo seu interesse na história do movimento reintegracionista a Carta-Artigo de Luis Mazás, publicada no Sermos Galiza de 5 de setembro 2017.   Caro Xosé, ao escrever estas linhas, vem à minha memória aquele verão do 92 quando te conheci na Voz de Galicia, onde trabalhavas como periodista. Eu estava cum contrato […]