Todos os artigos de Ernesto V. Souza

  • Ernesto V. Souza: «’A Sentimental Nation’ é um contributo fundamental, indiscutível, uma labaçada na consciência crítica e académica que destaca o abismo e abre também caminhos»

    Galicia, a sentimental nation, agora em galego como Galiza, um povo sentimental?, de Helena Miguélez-Carballeira, é um contributo fundamental.

  • Bilhete Postal

    Coimbra, no Mondego. Escada de São Tiago, fora justo do perímetro da cidade alta. Mesas na rua. Hora dos petiscos, do café, do almoço, nunca sei. Momento de simples descansar dos centos de turistas, que coma nós, na procura da sombra que foge, recalam de quando em quanto para tomar alento e pousar os pés, castigados pelas belas encostas e as pedras irregulares dos becos, largos e ruas.

  • Em mangas de camisa

    O novo rei da Espanha que, como previsto, após a coroação, iniciou o seu reinado entre outros atos menores com voto no dia do Apóstolo; nesse ato, rodeado da pompa e cerimónia a uso, pediu ajuda ao senhor Santiago, à Galiza e aos galegos.

  • O comboio do tempo

    Há 9 meses que solicito um scâner; para no meu trabalho encaminhar por e-mail a outro serviço notas de entrega e faturas reclamadas. O anterior escangalhou-se, antes de eu chegar. E o mesmo caminho leva a impressora. O computador da minha colega, no escritório acarão, está nas últimas. Provavelmente mandem a minha companheira para outra […]

  • Harmónica frase de pedras lavradas

    Salamanca em primavera é um sonho de limpa luz e suave pedra dourada. Dir-se-ia que as unhas da gente, desocupando o tempo, poderiam lavrar aos poucos todos os grandes edifícios da cidade ao seu capricho.

  • Com que roupa?

    Noel Rosa… quem soubera bem dizê-lo nome, ao vivo, como um sambista, num pontinho de bebedeira entusiasta e saudosa, subido num palco. Imaginem o ritmo. E, porque não, o público cúmplice. Soa a música delicada, belíssima, não isenta de cálida travessura e morna decepção. O bar tem madeira por toda a parte, e objetos diversos […]

  • Marcha fúnebre

    Burgos, azul entre as lançais torres da Catedral, ponte de São Paulo, ao fundo a estátua equestre do Cid. A reunião é ainda em meia hora. Chego com tempo sobrado para estacionar amodo e tomar café.

  • Os Idos de março

    Sete e trinta e oito da manhã. Há luz plena na rua. Ainda não é cálido o dia. Mas já presta. As árvores têm verdes rebentos e as amendoeiras, tão madrugadoras, já florescem.