Todos os artigos de Elias J. Torres Feijó

Professor de Literatura, em origem, e, mais, na atualidade, de Cultura. Foi presidente da Associação Internacional de Lusitanistas (2008-2014) e vice-reitor da USC, onde coordena o Grupo de Investigação GALABRA. Tenta trabalhar coletivamente e acha que o associacionismo é a base fundamental do bom funcionamento social e comunitário. A educação nos Tempos Livres é um desses espaços que considera vitais.
  • galego simbolico penhaguai

    A penha o passa guai/A penha passa-o guai No período de maciça recuperação de usos do galego do ponto de vista individual, que podemos situar como central nas décadas de setenta e oitenta do século XX, setores, diversos em muitos casos, castelhano-falantes em origem, começarom a usá-lo. Esse processo continua na atualidade mas provavelmente em […]

  • [email protected]

    (deixemos agora o terrível eufemismo, a crua mentira que distingue entre [email protected] e [email protected] segundo as pessoas tenham um emprego, qualquer, e recebam dinheiro, qualquer, por ele). Umha das grandes conquistas do capitalismo atual, avançado, de mãos dadas com o neo-liberalismo, é a perda de sentido coletivo da vida: o enfraquecimento da solidariedade e da […]

  • Hostilidade aos usos formais do galego e poder simbólico

    Dous subgrupos sociais, de diverso perfil sócio-económico e diametralmente opostos nos seus usos linguísticos convergem no rejeitamento ao que julgam políticas de imposição do galego. Identificam-se com facilidade em artigos, declarações, manifestos e manifestações que, mais do que propor um status para as duas línguas de circulação maioritária na Galiza (provavelmente sentem-se relativamente à vontade […]

  • De individualismo e sentido comunitário

    De individualismo A pobreza, o empobrecimento situam-se, em meu entender, entre os principais problemas sociais. A repressão e a violência andam-lhe mui perto. Compreendo e aceito no grupo de problemas o demográfico, em casos como o galego, porque implica desatenção, falta de cuidado, soledade e mais pobreza; despovoamento também, mas depende como e para quem; […]

  • Estórias de autocarro e maioria social

    Dia de chuva, felizmente habitual para a riqueza desta terra. 8,45, cai bastante, está um vento grande. Três pessoas esperam o autocarro urbano à intempérie; umha criança com aspeto de rondar os cinco anos; quem seu pai parece; umha mulher de bastante idade, de bordão e cesto pesado na mão; mais duas pessoas chegam, um […]

  • Lugar das raparigas e dos rapazes

    Texto publicado num livro de Festas de S. Telmo, há alguns anos, na memória de Queco, que se foi mui cedo demais para nós… Quando o sociólogo índio Swaminathan, comissionado da UNESCO para o Programa “Children’s Place” (CPP), o “Lugar dos rapazes e das raparigas”, chegou a Tui, verdadeiramente alucinou. Nos informes com que trabalhara […]