Todos os artigos de Artur Alonso Novelhe

Galego, mas nascido no México, é diplomado pela Escola Pericial de Comércio de Ourense. Exerce como funcionário do Serviço Galego de Saúde do Governo da Galiza. Publicou várias obras de poesia e colabora habitualmente com diferentes publicações, entre as quais o PGL. É sócio da Associaçom Galega da Língua (AGAL) desde os meados dos anos 80 e académico da AGLP.
  • Gerir o Colapso

    “ Não cobiceis a riqueza de ninguém (…) Aquele que vê todos os seres no Eu, e o Eu em todos os seres, não odeia ninguém (…) À escuridão estão destinados os que cultuam somente o corpo, e a uma escuridão ainda maior os que veneram apenas o espírito (…) Os que veneram tanto o […]

  • O Ponto de Transação

    Alguém um dia me disse: “É muito importante que as pessoas recetoras de opinião, saibam que as opiniões são sempre subjetivas. Que retórica e eloquência não necessariamente são sinónimos de verdade. O recetor de opinião deve saber identificar os sofismas, diferenciar aquilo que é conceito do que, a sua vez, é preconceito. Saber qual é […]

  • A Europa que não pode ser

     “Plus ça change, plus c’est la Mme chose – mais se muda, mais é a mesma coisa” (ditado popular francês) Quando as circunstâncias nos sobrepassam enfraquecemos, quando nos adequamos bem às circunstâncias fortalecemos. Tanto no nível coletivo como individual, experimentamos esta evolução, segundo os condicionantes do momento. Nos tornamos positivos com respeito a situações que […]

  • A humanidade na era do poder em disputa

    Ocidente parece ter chegado ao cimo da sua expansão: no que respeita ao poder económico global, esse pico toca na grande crise sistémica de 2007/2008. No que respeita a expansão territorial essa imersão, se produz nas fronteiras de Ucrânia – com Crimeia e o Donbass; como ponto de máxima ascensão. Respeito a extensão, pelo uso […]

  • Espanha em involução

    Estamos agora num novo e crucial momento histórico para Espanha e infelizmente de novo a tendência autoritária se impõe acima da flexibilidade e o dialogo. Mas isto não parece ser uma exceção na historia penínsular, desde começo da vitoria do reino de Castela e, o inicio da imposição da supremacia centralista no século XV. Percalços, […]

  • A decadência da Espanha

    “Sus aderezos de guerra son todos de hierro: de hierro se visten, hierro ponen como capacete a sus cabezas, hierro son sus espadas, hierro sus arcos, hierro sus escudos, hierro sus lanzas.” (Miguel León Portillo –do livro: “La Visión de los vencidos”, pag. 42) Com a chegada em 1519 de Hernam Cortes, a México, inicia-se […]

  • O Jidahismo Global

    Para entendermos melhor o acontecido em no Meio Oriente, desde inícios deste século ate o presente; assim como suas sequelas, projeções e derivações tanto na Europa (com os recentes atentados em Barcelona) como no mundo; vamos ter de recuar quanto menos a inícios do século passado. Em aquele momento o grande rival geopolítico do Império […]

  • A Galiza ética

                      Imersos num mundo de corrupção, associativismo com aparências licitas, mas utilizado por uma delinquência organizada no afã de enriquecer ilicitamente a uma pequena elite, a consta do resto da cidadania… A desesperança começa tomar conta da maior parte das pessoas de bem, neste triste mundo. No entanto existe também, em meio deste mediático […]

  • O galego que venceu

    “ Nem o Sol nem a Lua podem refletir-se claramente na água lamacenta. Assim a alma universal não pode realizar-se perfeitamente em nós, enquanto não afastarmos o véu da ilusão, isto é, enquanto perdura o sentimento do eu e do meu. ” – Ramakrishna A procura dum marco de dialogo permanente entre os diversos setores […]

  • Salvar a nossa Língua

    “Eu nada faço” deve pensar o devoto instruído na verdade quando vê, ouve, toca, come, anda, dorme, respira, fala, segura ou solta alguma coisa, abre ou fecha os olhos, considerando que “são os sentidos que se relacionam com os objetos sensíveis (…) O devoto que renuncia ao fruto de suas ações consegue a paz eterna. […]