Todos os artigos de Adela Figueroa Panisse

  • A nossa língua está em perigo?

    Polas filhas dos nossos filhos. Sim, é assim que vai ser a convocatória da manifestação do dia 8 de fevereiro em Compostela.

  • Águas Caldas

    Lilaila Tinha as costas apoiadas contra a parede da piscina, os braços estendidos sobre a barra de aço que percorria o bordo. Sentia como as bolhas lhe subiam desde os pés até as coxas, proporcionando-lhe uma imensa sensação de prazer. Deixou a cabeça recostar brandamente e fechou os olhos para concentrar-se nos seus sentidos físicos. […]

  • ‘Palhaça’ por falar galego em Lugo

    Hoje aconteceu-me algo que já nem pensava que pudesse acontecer: uma jovem, ao me despachar pan numa loja chamou-me «palhaça» por falar em galego.

  • Dario Ribas, o homem que venceu Franco

    Na Eira da Xoana, no dia 9 participámos nos atos da Memória Histórica, que já se vem comemorando desde há bastantes anos na zona da Ulhoa. Iniciou com a lembrança emotiva para Camilo Dias a partir da volta de Lodeiro (Sá, Palas de Rei). Lá foram deitados os corpos sem vida de Camilo Dias Valinho […]

  • República Galega e cantos de esperança

    No dia 27 de junho celebrou-se em Compostela o aniversário da Republica Galega. Apenas um dia ou pouco mais durou aquela utopia, mas da mão do senhor António Alonso Rios —o grande vulto galego—; aquele, que disfarçado de pobre de pedir, andou a Galiza sul por mais de um ano à procura de um escape da triste Espanha de Franco, daquela longa noite de pedra.

  • Uns corvos

    A primavera está florida e case anuncia o verão que já está perto no calendário. Em Lugo andam a preparar o Arde Lucus, a festa mais genial e divertida que conheço.
    Os dias amanhecem cedo e deitam-se mais tarde. Logo virá o dia mais longo. A Noite mais pequena: O Solstício de verão. Este ano cai em dia 21 pelo calendário astronômico. Já andam as meigas e trasnos em revolta a se remexerem por entre a brétema das nossas carvalheiras. As cidades nem são alheias aos seus movimentos telúricos e misteriosos.

  • Cousa de raízes

    No domingo 8 de junho foi apresentada ao público a nova campanha de ADEGA em defesa das nossas florestas. Como habitantes sensíveis da Galiza e, ainda, por sermos um grupo ecologista, manifestamos a nossa grande preocupação pelo deterioração ambiental da nossa Terra. Nomeadamente, pelo que diz a respeito das massas florestais mais nossas, como as que formam os soutos, carvalheiras, etc., carvalhos, castinheiros, nogueiras freixos, vidoeiros, amieiros… Quer dizer, as massas arvoradas caducifólias.

  • São Paulo

    Segunda feira,de passeio

    através da Avenida Paulista:
    Orgulhosa e ignorante
    da sua modernidade espetacular.
    Criação que constrói prédios
    Em que a selva e capaz de imaginar- se
    No reflexo das suas vidraças.
    Placas pulídas em espelhos

    que podiam ter chegado ate o céu.

  • Galegas no XI Encontro de Escritoras em Brasília

    Como participante no XI Encontro Internacional de Escritoras senti a grande honra das minhas colegas, Helena Gallego (Marim, escritora e jornalista), Célia Vázquez, (Universidade de Vigo, escritora) e de Maite Caramés (linguista e magnífica repórter fotográfica). Mas também o meu orgulho pela minha língua universal, extensa e útil, em que nos entendemos com todas as […]

  • Não te vaias. Prece ao sol

    Não te vaias!
    Deixa comigo a tua luz
    Ainda que for, apenas,uma raiolinha
    A me alumiar o caminho
    Agora triste, para o nosso sagrado lar.
    Quero ver para me safar