Todos os artigos de Adela Figueroa Panisse

Adela Clorinda Figueroa Panisse é de Lugo (Galiza), fazedora de versos, observadora do mundo e cuidadora de amizades. Trabalhadora no ambientalismo e na criatividade da palavra. Foi professora e lutadora pela recuperação da dignidade da Galiza e, ainda, pela solidariedade entre os seres humanos e a sua reconciliação com a terra. Gosta de rir, cantar e de contar contos. Também de escutar histórias, de preferência ternas e de humor.
  • ALDEMIR

    Microrrelato para a Campanha  ILP De proteção do bosque autoctone da Galiza. Protegidas da chuva polos suportais do Concelho, duas mulheres pediam assinaturas a gente que passava. Para proteger os bosques autóctones da Galiza. A voluntaria da Cruz Vermelha que o acompanhava assinou depois de ter falado algo com elas, e ele fez o mesmo […]

  • A importância do idioma na identidade coletiva

    “Eu sou porque nós somos” Marielle Franco,vereadora de São Paulo, assassinada por negra e lésbica (março 2018)   Dizia Castelao :”Se ainda somos galegos é por obra e graça do nosso idioma”1. A língua galega como identidade coletiva encontra-se já em Rosalia “Cantarte hei Galicia na língua galega”…que así mo mandaron, que cante e que […]

  • Cinquenta anos depois

    Andar a procura de papeis perdidos pelas gavetas traz-nos algumas surpresas. Há dous achádegos que tive a sorte de topar : Um feixe de poesias inéditas de Anxel Fole nuns papeis velhos, creio que dalgum livro de contas, e um “boletin” dos estudantes da Universidade Galega datado em Galicia, 8 de abril de 1968. Um […]

  • O galego perseguido e acurralado na Xunta de Galiza

    “Ojala vuelva Franco!! e Soy facha, facha, facha!! Observações das funcionárias de desportos da Xunta de Galiza em Lugo. Identificam o galego com ser do Bloque e o castelhano com ser Facha, facha, facha. Tudo muito ilustrativo. Funcionarias implicadas: Pilar Rocha Díaz Habilitada em Servizo de Deportes. Mercedes Moreno Varela Xefa de negociado Servizo de […]

  • Eucaliptos e Patrimonio na Galiza.

    Nos dias 6,e 7 de dezembro estivemos em Bruxelas. Uma delegação de mais de 20 associações galegas que defendem o Património Cultural e Natural da Galiza. Convidadas por Lidia Senra, de AGE que está inclusa no grupo Parlamentar europeu GUE/NGL, Os Verdes. A procedência geográfica foi variada. Desde Ortegal ao Minho. Só faltou Ourense, mas […]

  • É PRECISO CHAMAR A TODA A GENTE

      Preciso de chamar por ti, por ti, por ti, e por ti também, que ajejas a rua desde os cantos escuros da cidade: Nom me queiras foder, Ama-me! Com tuas palavras, o teu corpo e o teu sexo. Ama-me de longe e de perto Ama-me desde o teu pensamento. Amor,brinca comigo. Tenho toda a […]

  • Bem hajas, Manuela

    Caros/as amigas. Morreu Manuela. Bem sabemos todas/os .Foi-se uma amiga. Trabalhadora, sincera e valente. Lutou contra a doença com um ânimo dificilmente igualável. Uma mulher defensora da língua e da cultura da Galiza. Com critério firme e sem preconceitos. Aberta de mente e poliglota. Ficou muito trabalho sem acabar, muitas lições sem dar e muito […]

  • Sois uns imperialistas fracassados

    (Dedicado a Suso de Toro com a minha admiração. Ainda nom está todo perdido)   “E diríalles máis: Prohibíchedes o galego nas escolas para producir no espíritu dos nosos rapaces un complexo de inferioridade, facéndolles crer que falar galego era falar mal e que falar castelán era falar ben. Expulsáchedes o galego das igrexas, facendo […]

  • APOCALIPSE!!!

      Arde Galiza por todos os lados. Não é uma afirmação retórica, é real. Chandrexa de Queixa, Triacastela, Samos, Ponteareas, Monterrei, Vilar de Vos Folgoso do Courel,tudo está em chamas. Desde Ortegal ao Minho como nos versos de Cabanilhas! A Xunta publica na paxina de Medio Rural que reforça os efectivos na fronteira para que […]

  • FOGO!!

    ESTIVEMOS NO FIM DE SEMANA EM Portugal. Na zona zero da grande desgraça. Do grande Incêndio. Nada pode haver comparável com o horror das chamas a rodear o TODO. A envolver o mundo. O ar e a Terra. Nada que possa devolver a vida as mais de 64 pessoas entrampadas na sua armadilha. Na Trampa […]