Todos os artigos de Carlos C. Varela

  • A gula do vikingo

    Lugar das Teixoeiras, em Bascói (Messia) Duas aldeínhas da comarca de Ordes levam o nome de As Teijoeiras, umha em Ardemil e outra em Bascói. Ainda que para alguns autores se trate de um topónimo referido à árvore de teijo[1], parece confirmado que mais bem alude a um lugar abundante em porcos teijos (meles meles), […]

  • Aldeias de preguiceiros

    Restaurante-pastelaria-hotel Nogallás, no centro de Ordes Preparando o seu Diccionario Geográfico Popular Español, o iriense Camilo José Cela remitiu a todos os carteiros galegos um questionário pedindo informaçom sobre os “ditados tópicos” das suas zonas, isto é, os gentilícios, pseudogentilícios (alcumes) e também cantigas e adágios, insistindo Cela em que “no debe omitirse ningún apodo, […]

  • O silêncio dos primeiros reis

      Na paróquia de Buscás (Ordes) encontra-se o lugar de Esmoris, regado na sua parte baixa polo rego de Loureda –já tem ido meu irmao bem vezes aí às truitas-, que conta com um moinho do mesmo nome: moinho de Esmoris. O topónimo agocha um segredo surpreendente. Este, como tantíssimos outros, explica-se pola existência de […]

  • “… ali mesmo ao pé de Lagos”

    Carlos Calvo começa o ano com um novo projeto. Um novo blogue, Aldeias de Ordes, no que vai ir publicando artigos cada semana sobre toponímia de Ordes e mais. Publicamos hoje no PGL o Primeiro dos textos e iremos publicando conforme vaiam aparecendo:   “… ali mesmo ao pé de Lagos” Abundam por todo o país […]

  • Carlos Sixirei Paredes: “Tinhamos na Universidade mais conhecimento do Brasil no tardofranquismo que agora”

    Carlos Calvo entrevista Carlos Sixirei Paredes, profundo conhecedor da história do Brasil, que vem de dar ao prelo o livro Un modo de ver las cosas: ‘La imagen periodística del Brasil de Lula através del diario El País’ (Vigo, ir indo 2017), com este motivo conversa com ele para o PGL.

  • Na taberna de Facal

    Nos primeiros anos de andaina do Parlamento Galego uma estranha (e da qual desconheço os motivos) abstenção do BNG perante uma moção polo reconhecimento do direito da Galiza à autodeterminação, permitiu a Fraga fazer aquela piada fácil e paternalista de que, na nossa Terra, tal reivindicação “só a pedem Camilo Nogueira e o seu cunhado”. […]

  • ‘Code-switching’ carcerário

    Na última vez que me viu a dentista pudem cruzar toda a prisão: do módulo de isolamento (a “prisão de prisão” nesta matrioska penitenciária) à enfermaria. Como os presos isolados considerados especialmente perigosos, não podemos ir sem vigilância a lado nenhum, acompanhou-me um guarda. No caminho cruzamo-nos duas vezes, à ida e à volta, com […]

  • Manuel Paços Gomes : “Tudo começou no instituto de Ordes com um professorado mui combatente com a língua e com a escrita, que utilizava a normativa reintegracionista”

    Nos vinte anos do Obradoiro da história de Ordes, Carlos Calvo entrevista Manuel Paços Gomes, um dos seus fundadores e investigador da memória desde 1996

  • O galeguismo segundo Edward W. Said

    O “galeguismo” entendido como um orientalismo, e que provisionalmente se poderia definir como o conjunto de estratégias narrativas que umas elites letradas, foráneas ou galegas, mobilizam para representar “o povo galego” atendendo a diferentes intenções políticas, criando estereótipos que rematam (auto)identificando o país.

  • Ernestos Guerra da Cal

    Se o escritor e estudoso que foi Guerra Da Cal nom som como para a Galiza poder prescindir deles olimpicamente, o homem Guerra Da Cal, a personagem Guerra Da Cal, nenhuma cultura digna a teria deixado perder-se graciosamente. João Guisan Seixas   O neno que em Quiroga aprende de Maria “A Garabulha” as canções populares […]