Resultados no PGL na pesquisa por "Olivença"

  • Carta aberta ao Exmo. Sr. Presidente Alberto Nuñez Feijoo

    …Paz-Andrade galega. Um governo autónomo e uma sociedade estremenha que estão a avançar posições em relação às instituições internacionais do espaço lusófono, a cuja política parece ter-se incorporado recentemente a cidade de Olivença. Como exemplo de atuação concreta, basta citar a assinatura de um protocolo de colaboração com a União dos Exportadores da CPLP. Cabe perguntar-se, honestamente, por que é impossível para o Governo da Galiza o que…

  • Galiza: da língua espanholizada à língua galega no mundo

    …ão Galega neste mundo globalizado. Por outro lado, na Extremadura espanhola, onde nunca houve uma língua comum, também o Português é ensinado a milhares de pessoas, em número superior ao dos alunos de Português na Galiza. Em Olivença seis centenas de pessoas readquiriram recentemente a nacionalidade portuguesa e revive-se o falar oliventino. A língua não é só um meio de comunicação nem uma arma económica, ela expressa o sentimento dos povos,…

  • A Espanha, a Catalunha, a Europa; algumas reflexões

    …minho, pois, para muitos setores, o despertar das raízes lusas de Olivença poderá significar que, também ali, se quer de alguma forma beliscar a unidade espanhola. Convém acentuar que não é legítima qualquer comparação entre Olivença e a Catalunha. Na primeira, estamos perante um pequeno território de dois municípios (Olivença e Táliga) que quer recuperar o que indiscutivelmente lhe pertence: a sua História. Que foi a que foi, independentemente…

  • ‘Portugal em Contexto’ – Crónica

    …ira entre a Espanha e Portugal é o objeto da palestra de Xosé Henrique Costas. Começou com um relatório sobre a situação nos concelhos espanhóis com forte presença do português, bem por serem antigos territórios de Portugal (Olivença) ou por imigrações posteriores. O português está desprotegido, sendo as únicas políticas a este respeito da Comunidade Autónoma de Extremadura centradas nos imigrantes e descendentes de imigrantes portugueses, e não…

  • Origem do Termo Hespanha. Historicidade do termo (e III)

    …poios para ele, com recolocação de fronteiras incorporando-se a Portugal a zona de Albuquerque e outras zonas na raia de colonização histórica portuguesa. Não se cumpre. Tratados de 1803 e de 1815 compromisso da devolução de Olivença, não se cumprem… 1864 supressão da Terra dos Mistos, e incorporação de um território que no campo judicial, no que não era independente, dependia de Montalegre-Portugal. Bom, são muitos, mas ainda recentemente…

  • Uns apontamentos ao referendo britânico, modificador do futuro de jeito não deprezível

    …ade de Londres. (E é em Gibraltar; espaço do que afirmo não é o estado espanhol, -nem juridicamente, nem humanamente-, nem este estado tem nenhum direito a reclamar a soberania nesse território, bem contrastivo com o caso de Olivença) 3- As Mudanças no Reino Unido: O referendo vai acelerar o processo de se atualizar o sistema britânico federalizando-se e flexibilizando as relações entre os territórios. Imos ter as seguintes unidades: Irlanda do…

  • Nasce Grupo Xálima para defender identidade galego-portuguesa das “falas” de Cáceres

    …tará elaborar propostas e adotar iniciativas para que eles não desapareçam e se relacionem com o universo falante doutras zonas da Extremadura (Ferreira de Alcântara, Casalinho, Campina de Valência de Alcântara, Codosseira e Olivença); e nomeadamente com Portugal, ou a Galiza, Brasil…” O comunicado vai acompanhado de “um formulário de inscrição […] que dará opção de publicar ensaios no site www.falanti.eu partindo duma perspetiva…

  • Fazer ver nas aulas que a nossa língua é extensa e útil, com o documentário ‘Entre Línguas’

    …rde, da comarca de Xalma (Cáceres), aldeias de Casalinnho, Codosseira e Ferreira e Valença de Alcântara, da comarca de Alcântara (Cáceres) e aldeias de S. Bento da Contenda, Vila Real, S. Domingos, S. Jorge, Talega e Vila de Olivença, da comarca de Olivença (Badajoz), contam-nos como vivem a sua mais forte peculiaridade e conversam sobre os motivos para continuarem a falar como ainda se exprimem e cantam, ou todo o contrário, com os dialetos…